Caneta, Papel e Lápis

Um blog sobre escrita criativa, de Ana C. Nunes (A blog about writing fiction, by Ana C. Nunes)


Deixe um comentário

Dia do Autor Português

No dia 22 de Maio celebra-se o dia do autor português. Do escritor, do pintor, do escultor, do músico, e de tantas outras formas de autoria.

Este dia, tanto quanto sei, foi uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Autores, que comemora hoje 92 anos.

Nunca é demais recordar também que assim como devemos apreciar o trabalho e obra dos autores, também os devemos respeitar, e isso implica dar crédito, a quem de direito e, sempre que possível, comprar a obra ou assistir ao concerto ou visitar a exposição dos autores. E passem sempre a palavra porque aquilo que vos agrada a vocês, a muita gente também agradará.

No fundo, muitos são os grandes autores nacionais e muitos estão, certamente, ainda por ser descobertos. Quais são os vossos favoritos?

Nota: Hoje é também o dia Internacional da Biodiversidade!

 

Anúncios


1 Comentário

Dia Internacional do Livro e dos Direitos do Autor

Dia do LivroNão podia deixar passar o Dia Internacional do Livro e dos Direitos do Autor em branco, certo?

Por isso gostaria de vos convidar a divulgar, aqui e nas redes sociais, quais os vossos autores favoritos de sempre e qual o(s) livro(s) que leram este ano que mais gostaram.

E porque além de autora sou também leitora, deixo uma pequena lista de alguns dos meus autores favoritos (sem ordem de preferência): Markus Zusak, Marissa Meyer, Luís Filipe Silva, Edgar Allan Poe, J.K. Rowling, Carina Portugal, Brandon Sanderson, Vitor Frazão, Robin Mckinley, João Barreiros, Manuel Alves.
E o livro que mais gostei de ler este ano foi: “28 Days Later”, uma banda desenhada de Micheal Alan Nelson e Declan Shalvey.

E não se esqueçam de respeitar sempre o trabalho do autor, seja ele escritor, fotógrafo, músico, ilustrador, compositor, escultor ou outro “-or”.

Ajudem os autores e lembrem-se de, sempre que usam uma foto linda no vosso mural do facebook ou no blog, mencionar que é o autor (ou caso não saibam referir isso mesmo). Os autores do mundo inteiro agradecem!


Deixe um comentário

Por Mundos Divergentes – Passatempo

Para comemorar o lançamento da antologia “Por Mundos Divergente“, onde está publicado um conto da minha autoria, decidi criar um novo passatempo para vos oferecer um exemplar.
por mundos divergentesSobre a antologia:

Num futuro por vezes próximo, por vezes distante, Portugal sucumbe dos mais variados estados ditatoriais. Aquele que pensa é um inimigo do Estado. Um inimigo da pátria que tem de ter cuidado… e os que não têm cura, devem ser sacrificados pelo bem maior.
Por mundos divergentes conta com cinco contos distópicos escritos por Ana C. Nunes, Nuno Almeida, Pedro G. Martins, Ricardo Dias e Sara Farinha.

Sobre o meu conto, “Dispensáveis”:

Enquanto seres humanos gostamos de pensar que cometemos erros no passado para que, no futuro, não tenhamos de fazer igual. Para que não tenhamos desculpas para cair nos mesmo buracos. Mas o que a história nos prova é que os erros se repetem, se multiplicam, se inflamam. Mais tarde o povo verá esta era como uma das mais negras da história da humanidade mas, para já, tudo é aceitável, tudo é justificável, e nada é mais dispensável que a vida humana.

E lembrem-se: quanto mais fizerem Gostar/Seguir/Partilhar, mais hipóteses têm de ganhar.

Fica também, já agora, o vídeo com um pequeno apanhado do evento de lançamento da antologia “Por Mundos Divergentes”, em conjunto com “Comandante Serralves – Despojos de Guerra” e a 2ª edição da antologia 2Na Sombra das Palavras”, que decorreu no passado dia 21 de Setembro, na Arena Devir, no porto.


Deixe um comentário

A Noite de Lorde Byron

Hoje estarei aqui (no Porto):

A Noite de Lorde ByronMais informações na página do evento, no facebook.

Ah, e não se esqueçam que hoje é o último dia para terem o ebook “Angel Gabriel – Pacto de Sangue” sem custo!


Deixe um comentário

Lançamento Fénix 2

No próximo domingo, dia 7 de Abril de 2013, terá lugar a apresentação da Fénix 2, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, situado nos jardins do Palácio de Cristal no Porto.

Fénix 2

Como sabem, eu tenho um pequeno conto neste número da Fénix (A Dança das Letras) e por isso vou estar presente na apresentação. Vai ser algo simples e intimista, por isso apareçam e digam olá. 🙂

Nota: A entrada faz-se pela Rua de Entrequintas, nº 268, onde teremos os autores e outros convidados a falar sobre a ficção científica e fantasia em Portugal e o papel dos fanzines, para além da habitual sessão de autógrafos. Entrada Grátis.


2 comentários

Fórum Fantástico – Como foi?

Nos últimos dias tenho andado sumida da internet (coisa rara pelas mais variadas razões, mas a mais interessante desculpa, foi a minha ida a Lisboa, no passado sábado (24/11) para o Fórum Fantástico.

Cartaz do Fórum Fantástico 2012

Foi um dia fantástico! Não a nível de transportes, que isso foi uma desgraça, mas de resto foi muito bom. Conheci muita gente nova (muitas das quais com que já falava pela internet, seja pelo facebook, pelos blogs ou pelo twitter) e todos foram muito simpáticos e me receberam muito bem. Obrigada a todos!

O próprio evento correu muito bem. Quando cheguei, o workshop de escrita criativa estava a chegar ao fim, com o Bruno Martins Soares, o João Barreiros, a Madalena Santos. Infelizmente não tive oportunidade de apreciar este primeiro programa.
De tarde houve lugar para a apresentação de 3 projectos/revistas: Trëma, Lusitânia e Almanaque Steampunk (Clockwork Portugal) e todos correram muito bem, com vários elementos da organização de cada projecto a falarem das motivações dos mesmos e dos seus conteúdos. Tudo projectos muito interessantes (e eu tenho já os três resultados para ler).  Depois disto foi a vez das curtas-metragens, documentários e de um livro de Vanessa Fidalgo, “Histórias de um Portugal Assombrado“. Tenho de admitir que adorei a curta-metragem “Conto do Vento“, lindíssima! E também gostava de ver avançar o projecto Lendas em Série.
De seguida passaram às sugestões de leitura (e as sugestões de não-leitura), dadas por Artur Coelho, João Barreiros e João Campos. Fiquei com alguns assinalados para ler.
Dan Wells foi o convidado seguinte e o autor mostrou-se um grande orador (vi pessoas com muito jeito para falar em público no FF, coisa que eu não possuo). E os louvores aos livros foram tantos, além da energia do autor, que no fim tive de comprar “Não sou um Serial Killer“, autografado.

Por fim, mas não por ser menos importante, foi a vez do lançamento de “Lisboa no Ano 2000“, a antologia das Edições Saída de Emergência onde tenho um conto.
Fui convidada a fazer parte do grupo de apresentação e imaginem-me, nervosíssima antes, durante e depois da apresentação. É que, como disse aqui no blog, não contava ir ao ‘palco’, mas quando a Safaa Dib me convidou, não consegui dizer que não. Não se diz que não a estas coisas (que podem não voltar a acontecer, embora eu espere que seja a primeira de muita, e não porque gostasse da experiência – ai os nervos! – mas porque seria bom sinal).
Como não havia espaço, na mesa de apresentações, para todos os autores, eu, o João Ventura, o Luís Corte-Real, o João Barreiros, o Jorge Palinhos e o Telmo Marçal lá fomos.

Apresentação de “Lisboa no Ano 2000”, foto de Luís Rodrigues

E só para verem como estava nervosa, basta olharem para as minhas mãos. Vêem a caneta? Foi a maneira de eu me distrair. Não fui feita para falar para mais que cinco pessoas ao mesmo tempo. Não é por acaso que quando, no secundário, tive de defender a minha PAP (em público) fiquei tão stressada que me senti mal e tive de parar a meio. Tenho dito!
Mas desta vez nem correu muito mal porque o holofote não estava em mim. O Luís Corte-Real e o João Barreiros é que falaram mais (e ainda bem).
No fim todos os autores presentes (e éramos 11 ou 12) se sentaram na fila da frente e deram autógrafos a quem quis comprar a antologia. E desde já agradeço a todos os que por lá passaram. Foi um gosto conhecer-vos! E por favor não estranhem se as minhas dedicatórias forem muito bizarras e a minha assinatura for diferente de livro para livro, é que eu não pensei nisso antes, e quando os livros me chegavam às mãos, eu não sabia o que havia de colocar nas dedicatória. E como queria que fossem todas diferente e não queria atrasar a fila, imaginem as barbaridades que dali devem ter saído. Por isso, desculpem se escrevi algo que não faz sentido a mais ninguém senão a mim.

Como percebem, foi um dia em grande, não só pelo lançamento da antologia, mas especialmente pelo convívio. pelas pessoas que conheci e as que revi. Obrigada a todos! Vocês foram fabulosos! E desculpem lá qualquer coisinha.

Nota: Embora a antologia “Lisboa Electropunk” tenha sido vendida no Fórum Fantástico, só será lançada para o mercado (livrarias) no início de 2013.  Para os que compraram no FF, fico a aguardar feedback do meu conto, “Electro-Dependência” e do livro no geral. Espero que gostem muito!

Nota 2: Os meus parabéns à organização do Fórum Fantástico, fiquei com vontade de ficar mais um dia e espero para o ano que vem voltar lá.

Nota 3: Foi anunciado, em primeira mão, pelo Luís Corte-Real, qual será a antologia que a Saída de Emergência lançará em 2013: “Pul Fiction 2” e esta incluíra tanto contos portugueses como brasileiros, para um lançamento conjunto no Brasil. Comecem já a preparar os vossos contos de Pulp Fiction. O regulamento deverá ser lançado ainda este ano.

“Lisboa no ano 2000”


2 comentários

Presença marcada no Fórum Fantástico 2012

Como já tinha sido anunciado, a lançamento de “Lisboa no Ano 2000” é já amanhã, dia 24 de Novembro, na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro (Telheiras, Lisboa) e eu lá estarei. Não deverei fazer parte da mesa de apresentação (não há lugar para todos os autores), mas estarei na plateia e, possivelmente, no fim estarei na zona de autógrafos.(se é que alguém vai querer um :P)


Se estiverem no Fórum Fantástico e me virem a passar (e eu não vos reconhecer); abordem-me e digam olá. Prometo que não mordo (e não levem a mal que não vos reconheça logo; eu trabalho a pilhas).