Arquivo da categoria: Iogurte com pimenta

Iogurte com Pimenta 02

Iogurte_com_pimenta_02Era uma vez, num reino distante, um príncipe que ia para a cama com tudo o que era rabo de saia. O príncipe era amado pelo seu povo, especialmente pela casta feminina que sabia melhor do que ninguém os “dotes” do herdeiro ao trono.
O príncipe era afamado, não só por ser um verdadeiro “rei” na cama, como também por nunca dormir com a mesma mulher duas vezes. Elas não se importavam, pois o que queriam era poder gabar-se de ter estado com ele, já que isso era um espécie de estatuto entre os habitantes do reino.
Ao mesmo tempo, havia a rapariga mais ingénua do reino, que de tão ingénua, foi seduzida pelo príncipe e acabou no estaleiro, entre feno e cavalos, a fazer amor com ele, sem sequer perceber muito bem o que é que estava a fazer.
O príncipe,encantado com a ingenuidade dela o facto de ela não dizer que não a nada (mesmo nada), pediu-a em casamento ali mesmo, entre feno e cavalos. Ela, inocente mas contente, aceitou de bom grado a possibilidade de deixar a sua vida medíocre enquanto filha do padeiro.
Quem não ficou nada contente com isto foi a vilã, que era também a única amante do príncipe, aquela que ela visitara frequentemente e que tinha também um irmão no manicómio, se bem que a doida era ela.
Então, doida de ciúmes, a nossa maquiavélica vilã, contrata uns rufias e planeia arruinar a vida da nossa ingénua futura rainha, de forma a ficar ela com o príncipe, que é o seu verdadeiro amor.
A ingénua filha do padeiro, a caminho do casa para dar as boas novas aos pais, é atacada pelos rufias, que lhe queimam o rosto e a tornam irreconhecível, abandonando-a na berma da estrada.
A menina ingénua é encontrada por alguns vizinhos, que a levam de imediato para casa onde ela é cuidada pela sua mãe. O que a vilã não sabe é que a mãe da menina ingénua, é na verdade uma bruxa, que consegue, “Poquilita” aqui e “Duvlatin” ali, retornar o rosto angélico da nossa menina ao normal.
A vilã  regozija-se na vitória de pouca dura, pois no dia seguinte o príncipe anuncia o noivado e a ingénua menina continua bela como sempre. A vilã praticamente espuma pela boca com raiva e maltrata o seu irmão no sanatório. Irmão este que é uma jóia de pessoa e que se limita a levar pancada, contente pela visita inesperada do único membro da sua família, a irmã.
Semanas passam e o casamento tão aguardado acaba por acontecer, contra as expectativas da vilã que fez de tudo um pouco para o tentar impedir, incluindo envenenar todos os cozinheiros e empregados do castelo, mas o rei limitou-se a pedir aos plebeus do reino que trabalhassem em vez dos seus empregados, a troco de um bom salário e muita comida. Claro que ninguém recusou e a festa foi ainda maior do que o esperado.
A cerimónia correu dentro dos conformes e antes das 12h, já a nossa ingénua menina e o príncipe playboy estavam de aliança no dedo, contentes como só visto.
O novo casal foi feliz para sempre … e a vilã continuou como amante do príncipe, tentando a cada novo dia, um novo plano para ficar no lugar da nossa, sempre, ingénua princesa.

Nota: Os direitos de adaptação ao cinema já foram vendidos. Mantenham-se atentos a isso porque vai ser um grande sucesso.

Anúncios

Iogurte com Pimenta 01

Iogurte_com_pimenta_03Uma bela anja/anjo cujas asas nunca estão visíveis, tem um grupo de seis amigos próximos que a acompanham para todo o lado. Três são homens e três mulheres. A anja/anjo está interessada em dois dos homens, mas nunca o demonstra porque nem sequer se apercebe disso.
Esta anja/anjo é burra!
Ela é também dona de uma enorme fábrica de chocolates, que está situada perto de uma ravina. O edifício tinha sido anteriormente um manicómio e isso é bem visível tanto na localização como na edificação que mantêm o ar assustador. Até há trovoada e tudo.
Então, esta anja/anjo, dona da fábrica de chocolates, tem uma arqui-inimiga que faz de tudo para arruinar o negócio dela, por uma qualquer razão desconhecida e que não faz falta nenhuma sabermos. Aliás, ela nem sequer chega a mostrar a cara. Ouvimos falar dela, vemos os seus planos maquiavélico, mas ela nunca aparece em carne e osso.
Não interessa. Imaginem-na como uma vilã sedutora e com um riso extremamente maquiavélico (assim como os planos dela).
Adiante …
Então o mais recente plano da vilã inclui envenenar todas as caixas de chocolates em forma de coração que a fábrica produz. Todas menos UMA. E a nossa anja/anjo que faz?
Pois claro.
Ela vai mover mundos e fundos para encontrar a única caixa que não está envenenada.
Enquanto isso a fábrica continua a produzir chocolates envenenados, mas isso não é sequer importante. O que interessa mesmo é ÚNICO chocolate bom.
O grupo todo (6 humanos e uma anja/anjo) juntam-se e correm por todo o lado à procura dessa caixinha miraculosa. Mesmo todo o lado, inclusive os caixotes do lixo.
E é depois de vasculharem os caixotes do lixo (a anja/anjo obriga o homem loiro e musculado do grupo a enfiar-se dentro do contentor) que a anja/anjo tem uma ideia mirabolante. Se calhar o chocolate bom é o que ela tinha consigo e que enviou pelo correio a si mesma (ela tem manias destas).
Vão ao marco dos correios e desfazem-no todo para chegarem à dita caixa. E é mesmo a ÚNICA. A tal. O miraculoso chocolate não envenenado.
Voltam todos à fábrica, com a trovoada a rugir no horizonte. Sim porque uma fábrica de chocolate, implantada num velho asilo colocado ao pé de um precipício, tem de ter uma tempestade por perto.
No andar mais fundo da fábrica, a vilã põe em marcha um outro plano maquiavélico. Plano esse que a gente desconhece mas que aterroriza todos na fábrica e os faz correrem escadas acima (os elevadores funcionam, mas impressionantemente ninguém os usa). O pandemónio está instalado e a nossa anja/anjo não consegue chegar lá acima pelos seus próprios pés, porque as escadas começam a cair aos pedaço (escadas de pedra). Ela e os amigos tentam encontrar outro caminho mas sem sorte (elevadores, alguém?). Ela acaba por se fartar e decide voar até lá acima (já não era sem tempo), mas de alguma forma nós nunca chegamos a ver as asas dela. Devem ser invisíveis. E é quando ela começa a voar que os amigos conseguem finalmente subir pelos elevadores (se calhar ela era muito pesada para andar naquilo).
Chegam todos ao cimo ao mesmo tempo e vêem que todos os trabalhadores estão a salvo e a fábrica continua intacta, à excepção das escadas que estão destruídas. Para dar mais drama à cena, a tempestade ruge furiosa e começa a chover.

E é esta a aventura da anja/anjo que é também dona de uma fábrica de chocolates.
Épico, não é?

Nota: Eu sei que “anja” não é uma palavra (bem, no brasil diz-se, mas aqui em Portugal não), mas foi para não confundir. É que embora os anjos, supostamente, não tenham sexo, a desta história era bem feminina.

Se não sabem do que isto se trata, vejam o post anterior.

Iogurte de Pimenta 00

Iogurte_com_pimenta_01Já alguma vez tiveram uma ideia tão descabida, mas tão descabida, que acabava por ser genial?

Pois …. eu de vez em quando sofro desse flagelo.

Cansada de ser a única que as acha engraçadas e disparatadas, vou então partilhar alguns destes segredos com vocês.

As ideias mais originais dos últimos tempos.

Não vos garanto é que façam muito sentido.

Ficam avisados.

Nota: Esta rubrica não é semanal. Vai aparecendo em conformidade com o meu estado de espírito e especialmente quando surgir algo digno de registo.