Arquivo de etiquetas: A Última Ceia

Natal e opiniões

Na época de natal de 2015, que não terminou assim há tanto tempo, surgiram várias novas opiniões ao meu conto “A Última Ceia“, muito provavelmente por causa de maratonas literárias e por o conto se passar nesta época do ano.

Em blog encontrei a opinião no Sleep Less, Read More (Delirious Beautiful Mind) e depois há várias opiniões no Goodreads.

Delirious Beautiful Mind - 20151225

Não posso dizer que todas foram opiniões favoráveis mas é bom ver que mesmo depois de 3 anos, o conto ainda tem leitores, ou não fosse ele o meu bestseller (graças estar grátis desde o primeiro dia), e uma presença constante no Top 10 da Amazon Brasil.

Se já leram eu adoraria saber a vossa opinião. Deixem-na nos comentários, ou  se comentaram em blogs e sites, por favor digam-me o link para eu visitar. Quer seja uma boa ou má opinião. Gosto sempre de saber o que acham os leitores.

Anúncios

No Top 10 da Amazon!

NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA!
A Última Ceia” está no Top 10 da Amazon.com.BR (Categoria Horror), no inicio da manhã estava em 9º lugar e agora está em 7º LUGAR: http://www.amazon.com.br/gp/product/B00ASFEVUM

amazon br - 20150316Quem já leu sinta-se à vontade para deixar a sua opinião (e se forem clientes amazon, porque não deixar uma review lá no site?) Davam-me uma grande ajuda e apoio! 🙂

Nota: O conto é grátis!

NaNoWriMo 2014 – Diário 17

Chegou então o dia em que não consegui cumprir o mínimo diário (1667 palavras). Já tardava!
Não é por falta de vontade, mas porque simplesmnete estou cansada demais. Amanhão vou levantar-me um pouco mais cedo e compensar. Hoje fico-me pelas 1343 palavras que debitei entretanto. No total somo agora 34145 palavras. ainda assim vou adiantada, mas estava mesmo a tentar nâo ter nenhum dia com menos de 1667, mas lá terá de ser.

Até amanhã! Leiam muito e escrevam muito.

P.S.: Já me ia esquecer de dizer que o Lisboa no Ano 2000, a antologia onde tenho publicado o Electro-depenedência, recebeu Distinção do Público de Literatura Fantástica Portuguesa (Prémios Adamastor do Fantástico). Obrigado a todos os que votaram no Fórum Fantástico! E parabéns a todos os autores que participaram nesta antologia, e à editora, claro está.

P.S.2.0:  Entrevista com perguntas de leitores AQUI. Opinião de uma nova leitora de A Última Ceia, AQUI.

NaNoWriMo 2014 – Diário 11

Dia de São Martinho, dia de comer castanhas. Vocês comeram as vossas? As minhas souberam-me pela vida. Adoro castanhas!

E porque Novembro não é só NaNoWriMo, aqui ficam algumas novidades recentes:
Lobo & Dragão, a minha nova banda desenhada, já vai na página 14. Acompanhem esta nova aventura!
Angel Gabriel – Pacto de Sangue está nomeado para os novos Prémios Adamastor do Fantástico, nomeadamente na categoria de livro e Distinção do Público de Literatura Fantástica Portuguesa (que será votado durante o Fórum Fantástico 2014). Alguns dos meus contos também estavam na lista para o Prémio Ficção Curta mas os finalistas ainda não foram revelados.
– Duas novas opiniões sobre A Última Ceia, o meu conto disponível gratuitamente: opinião da Denise e da Ana Pereira.
– Já foi revelado o vencedor do passatempo Pack de livros de Ana C. Nunes, que decorreu no blog Livros nas Estrelas. parabéns Rui Lourenço! E foi divulgada também a resposta à pergunta colocada pelo vencedor.

Voltando então ao NaNoWriMo, hoje (dia 11) terminei com 22241 palavras, o que perfaz mais 1919 que no dia anterior.
A cena que escrevi hoje foi um pouco dolorosa, embora tivesse começado engraçada. É um momento de viragem da trama e há ali muita tensão entre o Giorgio (o vampiro) e a Alana (a kitsune).

Quem por aí está a escrever? Como tem corrido isso do exercício criativo?

Sobre Pontos de Vista

Lembro-me de já algumas vezes tocar nesta assunto aqui no blog: Pontos de Vista. Hoje vou falar de um caso específico e de como, com o tempo, as nossas certezas se podem transformar em incertezas.

Escrita Criativa - o Relatório

Quando comecei a escrever, cheia de imaturidade literária e narrativa, testei várias formas de narração através dos pontos de vista. Existem muitos tipos de pontos-de-vista mas os principais são: escrita na 1ª pessoa, na 2ª pessoa e na 3ª pessoa (estes subdividem-se, mas foquemo-nos no principal).

A 2ª pessoa nunca usei e, sinceramente, tenho receio de usar. Até hoje ainda não li um livro que o usasse bem, a não ser aqueles livros em que podes escolher o teu próprio final.

A 1ª pessoa foi, desde o início, aquele que me saiu mais fácil: Na altura diziam-me que só quem não sabia escrever é que usava a 1ª pessoa, que era de preguiçosos e Yada, yada, yada … Até hoje, discordo. Aliás, cada vez discordo mais. Acho que a 1ª pessoa é a mais difícil de escrever BEM. É, certamente, a mais fácil de escrever no início porque muitas vezes vivemos intensamente as histórias que criamos, mas para escrever BEM na 1ª pessoa, temos um grande desafio pela frente. Mesmo muito grande!
Cada vez mais percebo isto e cada vez tenho mais receio de escrever na 1ª pessoa, pois temos de conseguir dar uma voz muito única, muito reconhecível a todo o texto. Não podemos escrever como nós, senão todas histórias que escrevemos soam iguais e o POV da 1ª pessoa deixa de ter um propósito. Por exemplo, acho que funcionou bem no Electro-dependência, no Dispensáveis e no A Última Ceia.

A 3ª pessoa foi, para mim, a mais difícil de maturar. A princípio tudo o que escrevia neste ponto-de-vista me irritva. Havia uma separação entre mim e o que estava a escrever e não conseguiu atravessar a ponte. No entanto, quanto mais testava esta narrativa, mais percebia que funcionava, que era a que me permitia melhor expressar as personagens e que obrigava a menos diálogos internos, menos Blah blah, blah.

E então porque decidi falar nisto agora? Simples! É que estou a ler o “Alma“, a versão do 1ª rascunho, que escrevi no NaNoWriMo de 2010, e a odiar cada frase que escrevi na 1ª pessoa, e a amar quase tudo o que escrevi na 3ª pessoa.

a ler Alma - ana c nunes

No dia 8 de Novembro de 2010, conforme efusivamente contado AQUI, eu tomei a brilhante ideia de parar de escrever Alma na 3ª pessoa e passei para a 1ª pessoa.É irónico como a razão que eu apontei para justificar esta mudança, é na realidade a mesma porque hoje acho que esse foi o maior erro que cometi neste 1º rascunho da história:
– Humor: O humor subtil que consegui escrever na 3ª pessoa funciona! Enquanto que até agora tudo o que li na 1ª pessoa de Alma não me provoca qualquer reacção de riso ou sequer sorriso. O humor perdeu-se em introspecções aborrecidas e info-dumps.

Alma tem tantas personagens e uma trama tão rica quanto subtil, e a 1ª pessoa rouba-a de personalidade, de diversidade, de intensidade mais que tudo!
Sinceramente não consigo entender porque, enquanto escrevia, achava que estava a funcionar.

Estou apenas a ler o texto, nem sequer estou a apontar erros ou o que deve ser mudado, não só porque quero ler sem me preocupar com as correcções, mas porque a verdade é que tenho vontade de riscar tudo!
A única coisa que acho que poderei salvaguardar do que está escrito na 1ª pessoa são alguns diálogos e, claro, a história central que está sólida. O que não está bem é o texto. Vai tudo sumir! KAPUFF!

a ler Alma - ana c nunes 2

Nunca pensei dizer isto mas, cada vez adoro mais a escrita na 3ª pessoa, e temo a escrita na 1ª pessoa, excepto para a escrita de contos que se focam numa só personagem, ou outras histórias de premissa semelhante. No restante, a 3ª pessoa é, quase sempre, a melhor opção. Não estamos limitados à visão de uma só personalidade, nem aos seus pensamentos, nem às suas características. E por mais que isso possa e funcione a favor da história em certas premissas, em romances (livros) raramente tem  o efeito desejado. Mas, claro, excepções existem muitas e boas.

E vocês o que acham? Prefere ler/escrever na 1ª, 2ª ou 3ª pessoa?

Resumo Mensal 02

Nem consigo acreditar que já passou mais um mês …
Como dizia alguém que o sabe dizer melhor que eu: “O tempo escorre como água por entre os meus dedos, e não há nada que eu possa fazer para o parar.” (ou algo do género)

resumo mensalNão há muito para reportar sobre o progresso deste mês. Não porque Fevereiro é um mês mais pequeno mas porque realmente não tenho tido a capacidade para me dedicar à escrita ou a e-publicação, ou qualquer outra forma de arte criativa, tanto quanto gostaria.

Escrevi mais algumas histórias e resumos no meu “caderno secreto” de escrita e ilustração (o tal em que deveria escrever todos os dias). Nenhuma das histórias me parece ter potencial para resultar em algo digno de ser mostrado ao público, mas sempre deu para eu pôr os bichinhos da escrita a funcionar.

Estive a trabalhar nas ilustrações para o segundo volume da Heroína (o tal que está super-hiper-mega atrasado) e finalmente acho que a coisa está a ficar encaminhada, embora ainda me falte muita coisa. Se as histórias fossem só texto, há muito que o volume estava disponível para o lerem, mas as ilustrações não são algo tão fácil de fazer, Não são algo que eu possa levar comigo para fazer na hora do almoço, ou para o médico (enquanto espero para ser atendida). É algo que só posso fazer em casa. Já para não falar que cada ilustração demora muitas horas (desde o desenho, à arte-final e posterior colorização) a fazer. O primeiro foi mais fácil porque a maioria das ilustrações já estava feita, mas este segundo estou a fazer tudo de raiz e está a ser um desafio difícil de ultrapassar.
Daí que decidi parar de fazer promessas vãs sobre quando o volume vai sair. Quando estiver pronto, lançá-lo-ei logo, mas não prometo datas que depois não conseguirei cumpri. O que posso dizer é que está a andar a um bom ritmo.

Numa nota mais agradável, foi com surpresa que,  a 23 de Fevereiro, reparei que Angel Gabriel – Pacto de Sangue estava no top 100 dos ebooks mais vendidos em português, na Amazon.com. Não faço ideia como lá chegou, pois as vendas não subiram de rajada, mas foi com orgulho que o vi no lugar 63, antes mesmo do “Livro do Desassossego”.
Entretanto já saiu dessa posição, mas fica a recordação.

AG-PS 63 amazon

Recentemente estive também a trabalhar em algo cujo fruto vos revelarei em breve. Posso já dizer que se trata de algo relacionado com o meu canal de youtube, que pretendo tornar mais interessante. Mais novidades em breve!

Uma boa novidade é que Angel Gabriel – Pacto de Sangue, A Última Ceia (e The Last Supper) já estão disponíveis no Scribd, uma das maiores plataformas de ebooks dos dias de hoje. Em breve também Heroína lá estará. Visitem AQUI!

E porque esta é a semana “Read an e-book week” e a Smashwords está a fazer uma campanha especial, eu decidi aderir com Angel Gabriel – Pacto de Sangue.

100% desconto – entre 2 a 8 de Março de 2014!

read-an-ebook-week

Vão AQUI (têm de estar inscritos no site; inscrição grátis e dá-vos acesso a milhares de ebooks grátis), façam “Buy” e depois utilizem o código promocional (coupon): RW100

Não percam esta oportunidade!

Para terminar, caso tenham curiosidade, partilho convosco uma outra paixão: a fotografia. Sou apenas uma amadora e não dedico tanto tempo a esta arte como à escrita ou à ilustração, mas de vez em quando consigo algo de que me orgulho. Podem ver alguns dos meus trabalhos AQUI.

2013

2013 numa palavra:

Agridoce

Isto já é um costume aqui no blog: escolher uma única palavra que melhor descreva o meu ano a nível de escrita/publicação, e acho que esta se adequa na perfeição. Pois este foi uma ano que, em iguais medidas, me encheu de alegrias e me esmagou em decepções.

A Última Ceia” e “Electrodependência” (Lisboa no Ano 2000) foram as fontes de maior orgulho. O primeiro porque  chegou a muito leitores em todo o mundo (por culpa de ser grátis, claro) e apesar de ter recebido opiniões divergentes, no geral foi apreciado; o segundo porque todas as opiniões que li até agora foram muito positivas, o que me encheu de orgulho, e porque foi também escolhido como leitura conjunta por duas turmas da Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias (saibam mais aqui e aqui). Também o “Um Dragão com Alergias” me fez sorrir algumas vezes e tem sido bem recebido pelos leitores.

Em contrapartida, “Angel Gabriel – Pacto de Sangue” foi uma enorme desilusão e também a “Heroína” ficou muito aquém do alcance que eu esperava, embora esta ainda seja recente. O primeiro porque não foi recebido ou divulgado da maneira que eu esperava,e porque as opiniões que saíram até agora não foram muito boas (embora isso nem seja o que mais me decepcionou); o segundo porque praticamente não chegou a leitores nenhuns. No entanto a maior decepção de todas foi mesmo o “Anormal“, o conto que já deveria ter sido publicado pela editora Draco em 2012, e depois em 2013, e até agora nada. Estou muito decepcionada! E o pior é o silêncio da editora.

Sem reacção ficou “Miragem na Chuva” que, até agora, não recebeu praticamente opinião nenhuma.

Continue reading 2013