Arquivo de etiquetas: Não Apodreças nos meus braços

Não Alimentem a Caveira BD

Se seguem o meu blog de desenhos (Asas da Mente), isto já não será novidade, mas para todos os que não o fazem, trago hoje as 9 páginas da banda desenhada “Não Alimentem a Caveira“.
Esta BD foi escrita, colorida e balonada por mim, mas desenhada pelo talentoso Rui Alex. Foi também publicada na Zona Nippon 1, em Maio do ano passado, mas nessa altura saiu a preto-e-branco. Vocês agora podem ver tudo a cores.

Não Alimentem a Caveira” ilustra um capítulo do meu romance “Não Apodreças nos Meus Braços“. Lembram-se dele?

Cliquem nas imagens para aumentar e divirtam-se!

naac 01_t naac 02_tnaac 03_tnaac 04_tnaac 05_tnaac 06_tnaac 07_tnaac 08_tnaac 09_t
Adoraria saber o que pensam desta história. Gostaram? Ficaram curiosos?
Deixem ficar os vossos comentários.

Anúncios

A meta * The finish line

Semanário 158

Abril chegou ao fim e com ele terminou o ScriptFrenzy.
Ainda não foi desta que venci mas estou satisfeita. Terminei o desafio com 74 páginas de guião (de banda desenhada) escritas para “Lobo & Dragão“.
Falta muito para a história estar toda escrita, mas já é um grande avanço.
Entretanto, à mão, já delineei a história até um ponto mais avançado e vou continuar a fazê-lo nos próximos dias para ver se a história fica toda organizada.

Perdoem-me a brevidade do relatório desta semana, mas realmente não há muito mais a dizer.
Planeio agora regressar (iniciar?) à revisão de “Dragões e seus Sacrifícios” (e com sorte encontrar um título que me agrade mais). Os próximos dois meses prometem ser trabalhosos.

Ah! Já quase me esquecia de dizer que a banda desenhada “Não alimentem a Caveira” (baseado no meu romance “Não Apodreças nos meus Braços“), escrita e pintada por mim, com desenhos do Rui Alex, vai ser publicada no Zona Nippon 1, a ser lançada no dia 5 de Maio.
Se comprarem a revista digam-me o que acham. No interior está também uma ilustração da minha autoria.
Abaixo fica a capa da revista e uma amostra da BD “Não alimentem a Caveira” (cliquem para aumentar):

*English*

Weekly 158

April has come to an end and with it the end of ScriptFrenzy.
This still wasn’t the year I won this but I’m still happy. I finished the challenge with 74 pages of comic script written for “Wolf& Dragon“.
There’s still a long way to go before the story is finished, but it’s an improvement.
In the meantime, by hand, I drafted the story until a more advanced point, and I’ll keep doing it for the next few days to see if I lay out all of the story.

Forgive the brevity of this week’s report but really there isn’t much to say.
I’m hoping, now, to get back (start?) to revising “Dragons and their Sacrifices” (and luckily find a better title). The next few months promisse to be filled.

Ah! I almost forgot to say that the comic “Don’t Feed the Skull” (based on my novel “Don’t Rot in My Arms“), written and soloured by me, with drawing by Rui Alex, will be publihed in Zona Nippon 1, set to be released on May 5th. If you buy the magazine, tell me what you think of it. Inside you’ll also find an illsutration drawn by me.
Bellow is the magazine’s cover and a sample page from comic “Don’t Feed the Skull” (click to enlarge)

 

Nos meus outros blogs * On my other blogs:
– “Peeps (Parasite Positive)“, de Scott Westerfeld;
1001 livros que devemos ler antes de morrer;
1º Encontro do Clube de Leitura de Braga;
Participação na Zona Nippon 1;
– “O Heróico Major Fangueira Fagundes“, de Luís Novais;

Semanário 147 (Weekly 147)

Ideias fresquinhas!
Enchi o meu caderno de ideias com … ideias. Na semana anterior julgo ter falado na vontade de participar em várias antologias, mas me faltavam ideias. Pois esta semana a coisa resolveu-se com uma afluente de ideias. Foi bastante simples. O truque acabou por ser usar o que já conhecia, ou seja, as minhas personagens e os mundos que criei, escrevendo contos paralelos (no passado, presente ou futuro) à trama original de alguns do meus romances (alguns já escritos e outros por escrever). Isto resulta em que, não só em sinta mais familiarizada com as personagens e o mundo, como me permite contar histórias que  por um motivo ou outro acabaram/acabarão por não entrar no romance principal.
Para já ainda não vou revelar quais as histórias escolhidas, mas posso já dizer que tenho ideias para contos baseados nos romances: “Alma“, “No Limiar da Vida“, “Não Apodreças nos meus Braços“, “Dragões e seus Sacrifícios” e “PFA“.
Além disso tive outras ideias em nada relacionadas com os meus romances e só espero ter tempo e disponibilidade para os trazer todas ‘à vida’.

No sábado teve lugar mais um encontro de escritores (amadores e não só) do Norte, no Costa’s do aeroporto Sá Carneiro. Dois novos membros juntaram-se à equipa e só espero que não se tenham assustado. 🙂
Para quem não sabe, estes encontros no segundo sábado de cada mês, normalmente no Porto no Guarany (embora por vezes o local se altere e há a possibilidade de encontros em Braga). Quem quiser aparecer, será sempre bem-vindo!

E durante o passado encontro acabei por não escrever nada no PC, já que saquei do bloco e estive a estruturar o conto que, se tudo correr bem, irei submeter à antologia “A Fantástica Literatura Queer“. Vamos ver se consigo terminá-lo antes do fim do mês, quando ainda nem o comecei.

Para terminar, algures a meio da semana uma lâmpada se acendeu no meu cérebro e o calendário piscou. O ScriptFrenzy está a chegar e eu já estou a stressar. Este ano estava decidida a dedicar-me à escrita dum guião de BD em Março, para finalmente sair vitoriosa no desafio irmãozinho do NaNoWriMo, mas com tantos contos a implorarem para serem escritos e tantas outras coisas para fazer, receio que nem este ano seja possível. Março não é mesmo um bom mês para mim, mas vou tentar.
Quem vai fazer o ScriptFrenzy? (não se esqueçam de aparecer no fórum de Portugal)

*English
Fresh ideas!
I filled my idea notebook with … ideas. Last week I believe I told you of my wish to participate in several anthologies, but also my lack of ideas. So this week things changed with a wave of ideas. It was pretty simple. The trick was to use what I already knew, in other words, the characters and worlds I had created, writing parallel short-stories (that take place in the past, present or future) for my novels (some already written, others not). This means I feel more comfortable with the setting and the characters, which also allows me to tell stories that, for one reason of the other, never made it/will make it to the final novel.
For now I won’t reveal which stories I chose to tell, but I can tell you that the short-stories are ased on the following novels: : “Alma“, “No Limiar da Vida (On the Edge of Life)“, “Não Apodreças nos meus Braços (Don’t Rot in my Arms)“,Dragões e seus Sacrifícios (Dragons and their Sacrifices) e “PFA“.
Besides these, I had other ideas not related to any of my novels and  I only hope to have time to get ‘bring them all to life’

On Saturday another writers’ from the North meeting took place, in Costa’s at the airport in Oporto. Two new members joined in and we only hope they didn’t get scared away. 🙂
To those unaware, these meeting take place every second Saturday of every month, usually in Oporto at Guarany’s (although sometimes the location changes and there’s the possibility some meetings will be in Braga). Anyone is welcome!

And during that meeting I wound up not writing anything on my laptop, as I used only my notebook to write down the structure for the short-story I intend on submitting to the anthology “A Fantástica Literatura Queer“. We’ll see if I can finish it before the end of the month, even not having yet started it.

As a final note, somewhere in the middle of last week a lamp light up in my brain and the calendar flicked. ScriptFrenzy is around the corner and I’m already stressing about it. This year I had every intention on dedicating time to writing a graphic novel script, and finally be victorious on NaNoWriMo’s bother challenge, ScriptFrenzy, but with so many short-stories lined up for writing ad so many things to do, I fear it will be another failure in that department. March really isn’t a great month for me.
So, who’s trying ScriptFrenzy this year?  

Nos meus outros blogs (On my other blogs):
Liebster Blog;
– “A Vingança do Lobo“, de Vitor Frazão

No exterior (On the Outside):
The Biggest Mistake Most Writers Make, no Write to Done;
WordPlay: Bookisms, no Creatspace;
Eight Simple Tips for Editing Your Own Work, no Write to Done;
A Writer’s Guide to Punctuation, o WordPlay;
Mastering Words: Transform Your Writing Weakness into Strength, no Write to Done;
The Business of Writing: Operations, no blog de Patricia C. Wrede;
19 Reasons Why You’ll Never Finish, no Soul of a Word;
The Power of One, no Remalda Publishing;
Starting the Second Novel: What I’m Doing Differently, no A Bran Scientist’s take on Writing;
When You Cut a Scene You Like, Save It!, no Creatspace;
Sometimes a cigar is just a cigar, no Crónicas Obscuras;
Preparing for beta-readers, no blog de Deanna Knippling;
What makes a book magical, no Writer Unboxed;
Are You Making Your Characters (and Yourself) Look Stupid?, no WordPlay;

Resoluções para 2012

Como tem acontecido nos anos anteriores, também para 2012 tenho alguns objectivos.

A listinha principal:
– Participar no SciptFrenzy (possivelmente para escrever o guião de “Lobo & Dragão“);
– Participar no NaNoWriMo em Novembro e possivelmente no Camp NaNoWriMo em Julho/Agosto (conforme a minha disponibilidade);
– Fazer revisão de dois romances (tenho quatro para rever, por isso quero finalizar no mínimo dois; (os em lista de espera são: “Através do Vidro“, “Alma“, “Dragões e seus Sacrifícios“, “Não Apodreças nos meus Braços“);
– Concorrer a antologias e concursos;
– Internacionalizar a minha ‘imagem’ como escritora, tornando a informação acessível a leitores não falantes de português (falarei mais disto ao longo do ano);
– Definir objectivos de publicação e agir em concordância (falarei mais disto ao longo do ano);

E mais uma vez, vou tentar escrever todos os dias, embora já tenha comprovado nos anos anteriores que tal é quase impossível (a vida mete-se sempre pelo meio).

E vocês, que resoluções literárias/artísticas têm para 2012?

2011

O ano transacto numa só palavra:
Fantasia

Fechada a cortina sobre o ano de 2011 é tempo de reflectir sobre o que se fez nos últimos doze meses.
No início do ano fiz uma lista com os meus objectivos. Vamos ver quantos cumpri?

Escrever 2 romances (1 entre Janeiro e Outubro, e outro durante o NaNoWriMo) – FEITO! Escrevi o “Dragões e seus Sacrifícios” e o “Não Apodreças nos meus Braços“.
Escrever 1 conto por mês (mínimo) – Não fiz, nem de perto nem de longe. Este ano escrevi muito poucos contos, em prole dos romances.
Terminar a noveleta que comecei em 2010 (romance paranormal) – FEITO! Mas a noveleta virou romance (Dragões e seus Sacrifícios)
Fazer revisão de “Através do Vidro” – FEITO! Mas ainda não estou satisfeita. Este romance anda agora na mão de hábeis proof-readers, antes de eu decidir se o arranjo ou se o arrumo.
Fazer revisão de “Alma” – Não fiz! Comecei, mas depois, por culpa daquela minha duvida sobre os pontos-de-vista, acabei por poucos progressos fazer. Fiz uma correcção ortográfica no primeiro rascunho/draft, mas isso não é revisão.
Sondar novas editoras com o “V.I.D.A.” (depois de dar mais uma vista de olhos no texto) – FEITO! Em duas rodadas. A aguardar respostas.
Sondar mais editoras com o “Angel Gabriel” – FEITO! E a desesperar à espera de respostas que nunca vem(virão).
Participar no ScriptFrenzy (com o guião para a BD que farei posteriormente durante o 24 Hour Comics) – FEITO! Não cheguei às 100 páginas, mas esse não era o meu objectivo, tal como estava escrito na lista, o que queria era escreevr o guião para uma BD de 24 páginas. Foi o “Visitante Indesejado“, mas acabei por não o usar no 24 Hour Comics.
Participar no NaNoWriMoFEITO! Terminei com 78.984 palavras no romance “Não Apodreças nos meus Braços
Fazer mais pesquisa (mitologia e história) – FEITO! Não tanta como gostaria, mas mais do que nos anos anteriores. Ainda tenho muito para aprender.
Tornar o blog “Caneta, Papel e Lápis” mais activo e interactivo – Não! Apesar de ter tentado criar um ambiente de maior reciprocidade com os Semanários (introduzindo questões), na verdade o blog tem estado mais parado, muito por culpa de eu ter escrito poucos contos e não ter escrito muitos artigos além-Semanários.
Continuar com o “Semanário”, mas de forma um pouco diferente – FEITO! Embora na prática não tenha alterado muito o formato, tentei dinamizá-lo um pouco, colocando questões, fornecendo links e tentando falar de temas que poderiam interessar a quem visitasse o blog, nomeadamente quanto a técnicas e dificuldades de escrita criativa.

No geral foi um bom ano em termos de escrita, para mim, mas não um bom ano para este blog, que ficou abandonado. O Semanário manteve-se sempre, mas fora isso poucas foram as actualizações e por isso peço desculpas.

Estive a fazer contas e em 2011 escrevi cerca de 165000 palavras de ficção. Isto até não parece muito (a mim), mas julgo ser mais do que nos anos anteriores e isto sem incluir revisões, sinopses, queries, posts, etc.
Também este ano publiquei um conto na fanzine NaNoZine, outro foi divulgado no blog A Viagem dos Argonautas, e outro no concurso Conte Connosco.
No geral, não foi um ano nada mau. Bem pelo contrário, sinto-me muito feliz com o que alcancei este ano, embora a publicação esteja ainda fora do meu alcance. Quem sabe 2012 não será um ano ainda melhor?

O Princípio do Fim (Semanário 137)

A última semana (ou parte dela) do NaNoWriMo deste ano. foi marcada por uma intensa pausa na escrita. Acho que esgotei os meus recursos literários no resto do mês.

É mentira!

A verdade é que, como já tinha dito, estou neste momento focada em fazer o que não tive oportunidade de fazer em Novembro, nomeadamente no que diz respeito a algumas Bandas Desenhadas que tenho em mãos e que já pude adiantar um pouco, embora ainda tenha muito trabalho pela frente.

Não me tendo surgido qualquer ideia para conto, acabei por manter a semana no ‘mínimo’, tendo apenas tirado algum tempo para fazer apontamentos relativos ao que quero mudar na fase das revisões, em relação ao “Não Apodreças nos meus braços“. a maioria dessas mudanças eu dei-me conta à medida que ia escrevendo, mas como durante o NaNoWriMo a ideia é que não se façam revisões, não voltei atrás para ‘corrigir’ (mais limar) e por isso fiquei com as ideias de mudança na cabeça. Tive depois que as passar para o papel, com medo de as esquecer no intervalo que vou fazer entre a escrita do romance e a sua revisão 8acho sempre que é bom deixar passar alguns meses antes de voltar a pegar em algo que escrevi, pelo menos quando se trata de algo tão longo).

E foi maioritariamente isso que fiz, ou seja, quase nada! Mas estava a precisar de tempo para outras coisas, e a verdade é que estou tão assoberbada de trabalho que não sei se a próxima semana será melhor, mas vou tentar pelo menos escrever alguma coisa.

Nos meus outros blogs (Floresta de Livros e Asas da Mente):
– Garnath e a Bola de Cristal – Página 17;
– Compras e Ofertas – Novembro 2011;

Nota: Esta semana não há links externos porque não tive tempo para ver site nenhum, daí que não tenha acompanhado os artigos, como costumo fazer.

NaNoWriMo Semana 4 (Semanário 136)

(Estes post fala do meu avanço na escrita do romance temporariamente intitulado “Não Apodreças nos meus braços“.)

Quem viu o post anterior já sabe que eu terminei a história que estava a escrever. Por isso HURRAY! Não devo escrever muito mais até ao fim de Novembro (já só faltam 3 dias) porque estou a tentar fazer coisas que não tive oportunidade de fazer em Novembro (nomeadamente BD), mas a verdade é que também estou a pensar escrever uns contos, por isso não seria de admirar se ainda escrevesse mais qualquer coisa este mês.

Fica agora o apanhado diário da semana que passou, mas lembre-se que tenho de sr mais comedida no que conto, por causa de estes serem os dias que passei a escrever os últimos capítulos. Não vou contar o final, como devem imaginar.

DIA 21:
Contagem total no final do dia: 68318 palavras; contagem diária: 1699 palavras.
—– Ao som de boa música comece a escrever a cena da luta final (e que luta bizarra, envolve de tudo). Sou das pessoas que tanto se sente inspirada pela música, quando está a escrever, como depois tem de a desligar por lhe estar a ‘distorcer’ as ideias. É engraçado comprovar que quando escrevi o “Angel Gabriel” em 2008, fiz-lo ao som de músicas de Rock, com letra e isso não me incomodou; no entanto este ano, a escrever “Não Apodreças nos meus braços”, não suportava ouvir músicas com letra, ou se as tivessem, tinham de ser mesmo simbólicas para não me atrapalharem. Não sei se tem a ver com o meu estado de espírito ou com a história em si.

DIA 22:
Mais cenas de acção, com a grande luta ainda a decorrer e ganhar novos ‘peões’. Contagem total do dia: 70177 palavras; contagem do dia: 1859 palavras.
—– Andava eu, toda lampeira, a escrever que os polvo têm tentáculos e depois numa pesquisa de rotina descubro que afinal sou mais ignorante do que penso em coisas corriqueiras. Aparentemente os polvos não têm tentáculos, mas sim braços (com ventosas). Fica por perceber afinal qual a grande diferença.

DIA 23:
Foi um dia complicado, profissionalmente o que fez com que ficasse com menos disposição para escrever. Acabei por só conseguir 1669 novas palavras, que ainda assim foi mais do que contava quando comecei a escrever. Contagem total no final do dia: 71846 palavras.
—– Fiz algo um pouco controverso. Meti no meio do combate ‘pessoas’ que normalmente não deveriam lá estar (infelizmente na realidade acontecesse, mas não deveria). Não vou dizer como terminou, mas lembrem-se que isto é uma espécie de comédia.
Por outro lado a Morganda (a vilã) voltou aos seus discursos lunáticos sobre ingratidão. Até eu fico irritada a escrevê-la, mas faz parte da personalidade dela.

DIA 24:
A batalha chegou ao fim com as 1936 palavras que escrevi neste dia. Contagem total ao fim do dia: 73782 palavras.
—– A caveira voltou ao ataque e eu diverti-me a escrever falas dela/a enquanto tinha uma varinha na boca (ela/e mete tudo `boca’), o que deu frases no mínimo estranhas.

DIA 25:
Antes de me deitar acabei o que na altura julgava ser o penúltimo capítulo, ficando a faltar apenas o Epílogo. No entanto depois de me deitar fiquei a matutar na história e percebi que ainda me faltava um capítulo antes do Epílogo. Foi nisso que trabalhei durante o dia.
Também fui experimentar o word validator no site do NaNoWriMo e enquanto o Word (do meu PC) me dizia que eu tinha 74563 palavras, o site do NaNoWriMo dava-me 76090. Mais 1500 palavras! O.o Já nos anos anteriores me dava sempre mais palavras, mas acho que este ano bateu recordes de discrepância.
Contagem total no final do dia: 75951 palavras; palavras escritas no dia: 2169.
—– A Velna e o Jored tem uma conversa um pouco estranha e que termina de forma algo desconfortável para ambos. No entanto deu-me imenso gozo escrever a cena.
No capítulo que escrevi antes do Epílogo, voltei ao Inferno e escrevi uma cena que gostei bastante, não tanto pela acção em si mas pela forma como acabaria por a abordar.

DIA 26:
O fim de “Não apodreças nos meus braços” chegou às 23h50 do dia 26 de Novembro de 2011. Total: 78984 palavras (o site do NaNoWriMo contabilizou-me 80564 palavras). Ao todo para terminar neste dia tive de escrever 3033 palavras.
Posso só confessar que fiquei um pouco triste ao escrever o FIM. Ainda fiquei uns quantos minutos a olhar para o monitor e pensar se não havia mais qualquer coisa para eu adicionar, mais uma cena para incluir. Acho contudo que, para a história que é, o final ficou à altura e por isso se fosse adicionar seria para estragar. Por isso fechei o documento, como uma estranha sensação de vazio e fui dizer a toda a gente que tinha terminado. Só não soube festejar como devia de ser, pois nem um chocolate tinha para me presentear (Mentira! tinha um Ferrero Rochet, mas estava mola. Buh!)
—– Como devem imaginar não vos posso contar nada sobre o final, mas posso dizer que algures falei num estranho chá e houve discussão por razões absurdas. 🙂

DIA 27:
Não escrevi nada. Não só porque já tinha escrito o “Fim”, mas porque decidi dedicar-me à banda desenhada, tão negligenciada no mês que está quase a terminar.
Foi por isso um dia de descanso em termos literários, por assim dizer.

Por tudo isto foi uma semana excelente, apesar de a nível pessoal e profissional ter sido o exacto oposto, este “Não Apodreças nos Meus Braços” acabou por me distrair o suficiente para que não ficasse a matutar no meu futuro incerto. Estou feliz por mais este objectivo cumprido e quero ainda oferecer-me algo simbólico por esta ‘vitória’ pois em todos os anos anteriores nunca me presentei. Acho que mereço, não?

A todos os que ainda estão a lutar para chegar à 50000: FORÇA! Nada se consegue sem algum sacrifício, mas saibam que mesmo que não cheguem ao número mágico, fizeram tudo o que podiam e não podiam. Isso sim é espírito vencedor. Nunca desistir!
Aos que não participam no NaNoWriMo, a mensagem é a mesma, pois julgo aplicar-se a tudo na vida.

Nos meus blogs Floresta de Livros e Asas da Mente:
Só a Leitura Salva, um vídeo e dois trailers;
– Garnath e a Bola de Cristal – Página 16;

No exterior:
Nanowrimo: the third quarter drop-dead, no blog de Alexandra Sokoloff;
NaNoWriMo Week 4: Behind, no blog de Deanna Knippling;
Opinião – A nostalgia da quimera: o fantástico é o género dominante na literatura portuguesa, um artigo de Octáio dos Santos no jornal Público;
How do you find Inspiration?, no Rhemalda Publishing;
Open Endings: Love ‘Em or Hate ‘Em?, no CreateSpace;
How to Describe Your Characters—and How Not to, no WordPlay;
When to Give up, no blog de Brigid Kemmener;
Conquering the Middles: A NaNo College Essay, no The Office of Letters and Lights;
When do you need an editor?, no The Book Deal;
How To Make Sure Your Book Is The Best It Can Be, no The Creative Penn;