Arquivo de etiquetas: Porto

NaNoWriMo 2014 – Diário 08

Péssimo dia de escrita! Óptimo dia de convívio!

Eu bem queria ter tido um dia produtivo mas não logrei esse objectivo. Diverti-me imenso com o grupo de nanoninjas do Porto e consegui atingir o mínimo diário mas a minha actividade literária está longe de ser satisfatória.

Final do dia: 16470 palavras (mais 1688 que ontem).

Vou dormir cedo e amanhão vou tentar levantar-me cedo para começar bem o dia. Até lá!

Anúncios

Vídeos da Apresentação da Fénix Fanzine 2

Já viram os vídeos da apresentação da Fénix fanzine no Porto? Eu também estive lá! Para verem os vídeos todos, visitem o canal Youtube da Fénix, AQUI.

Na mesa estão também sentado, da esquerda para a direita: Inês Montenegro, eu, Marcelina Gama Leandro, Ana C. Silva (não, não sou eu, apesar de o nome ser quase igual e eu também ser Silva) e Vitor Frazão.

Abaixo fica um dos vídeos onde respondo a algumas perguntas.

Vejam o resto dos vídeos, AQUI.

Tudo isto se passou na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no porto, no dia 7 de Abril de 2013.

Lançamento Fénix 2

No próximo domingo, dia 7 de Abril de 2013, terá lugar a apresentação da Fénix 2, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, situado nos jardins do Palácio de Cristal no Porto.

Fénix 2

Como sabem, eu tenho um pequeno conto neste número da Fénix (A Dança das Letras) e por isso vou estar presente na apresentação. Vai ser algo simples e intimista, por isso apareçam e digam olá. 🙂

Nota: A entrada faz-se pela Rua de Entrequintas, nº 268, onde teremos os autores e outros convidados a falar sobre a ficção científica e fantasia em Portugal e o papel dos fanzines, para além da habitual sessão de autógrafos. Entrada Grátis.

Euro Steam Con no Porto

Euro Steam Con no Porto

Nos dias 29 e 30 de Setembro, no Porto, e por todo o mundo, vai-se realizar a Euro Steam Con, um evento sobre Steampunk em todas as suas vertentes.
Confiram a programação!

Eu vou lá estar. E vocês?

Dose diária 28

Mas será possível?
Hoje estive quase quase a chegar às 5 000 palavras, mas como à noite estive a ver um filme em família (“Seven Pounds” (“Sete Vidas” em PT), excelente filme. Recomendo!) acabei por ficar a menos de 500 palavras do objectivo do dia.

Mesmo assim foi um grande adianto e agora já só me faltam 2 500 palavra para chegar à meta final. Se tudo correr bem, amanhã estarei a festejar a vitória.

Hoje foi dia de mais um NaNo-meet, mas ao contrário dos anteriores, a maioria das pessoaas não pode comparecer por uma ou outra razão. Sentimos a vossa falta, queridas.
De qualquer das formas, eu a AnaCSilva, o Ricardo e um novo amigo que não esta a participar no NaNo, fomos para o café do costume.
As duas Anas (eu incluida) estavam ambas adoentadas e o principio da tarde foi quase nada produtivo pois eu estava a escrever muito lentamente, incapaz de me concentrar ou sequer pensar algo semi-coerente. Depois de tomar um chá, melhorei e lá consegui começar a teclar como deve de ser.
Hoje não houveram contra-relógios, porque éramos só duas e, bem … não houve necessidade.

A tarde, embora má nos sentido que estive doente, correu muito bem, como se pode ver pela subida na contagem. Foi um encontro bastante bom, embora menos “vivo” que os anteriores, por causa da falta de pessoal. Mas  a companhia que houve foi muito boa, se esquecermos o facto de eu não me conseguir concentrar muito bem graças ao “show” que uma certas pessoas estavam a dar lá no café. Nós dispensávamos o barulho.

Contagem “Através do vidro“: 24 034 palavras.
Contagem total: 47 439 palavras.

Dose diária 21

Eu mal acredito mas … vejam …. estou adiantada na contagem, por um dia. Um dia! Não posso crer!
E tudo isto mesmo quando a NaNo-meet não foi tão produtiva como as anteriores.  Imaginem se fosse.

Na NaNo-meet fizemos cinco contra relógios:

1º contra-relógio – 10 minutos – 454 palavras
2º contra-relógio – 15 minutos – 655 palavras
3º contra-relógio – 15 minutos – 665 palavras
4º contra-relógio – 10 minutos – 432 palavras
5º contra-relógio – 20 minutos – 792 palavras

Entre contra-relógios, fui escrevendo mais umas palavras, mas a maioria do tempo estivemos a falar, sobre personagens, sobre vampiros (desta vez os nossos), sobre livros, música, cinema … bem, um pouco de tudo.
No fim ainda tivemos tempo para ir dar uma volta e ver a iluminação de Natal. Antes de entrar no comboio estivemos a fazer pouco do poster de um certo filme de vampiros, que é sequela, e que, bem … nós todas adoramos gozar. Eu sei, eu sei … deviamos arranjar algo melhor que fazer, mas ao menos não perdemos muito tempo com isso.
Foi mais um encontro bem passado.

Contagem “Através do vidro“: 13 493 palavras.
Contagem total: 36 898 palavras.

Dose diária 20

O 20º dia do NaNoWriMo começou bem. De manhã lá consegui espremer 1910 palavras em menos de uma hora e meia. Deve ser um recorde para mim (excepto durante as NaNo-meets, que tendem a ser bem produtivas).
E por falar em NaNo-meet, amanhã há mais uma. A minha carteira chora com todas estas viagens para o Porto, mas o convívio compensa.

Na hora do meu intervalo, lá escrevi mais 766 palavras. Nada mau para 30 minutos (ainda tive que ir comer qualquer coisa, se não caía para o lado).

E à noite consegui desencantar mais 1 885 palavras em 1 hora, sei lá como. Novo recorde! (caso não se tenham dado conta, eu faço este post por partes, por isso hoje bati o meu próprio recorde duas vezes.)

Gah! Quase … foi quase … podia ter chegado às 5 000. Por um bocadinho assim …
Bem … fica para outro dia.

Contagem “Através do vidro”:  10 363 palavras.
Contagem total: 33 768 palavras.

P.S.: Alguém devia fazer um estudo sobre “Porque é que as pessoas, leia-se portugueses, sabendo que uma determinada instituição pública está aberta das 9h às 21h, se lembram de ir lá às 21:05, de sexta-feira?” Especilamente quando ainda vão a correr atrás da empregada (não me pronuncio), dizendo que é urgente e que têm de entregar uma coisa que está numa PEN, tendo a dita funcionária de abrir a porta, ligar o computador, copiar os ficheiros para o computador e voltar a fechar tudo. Sinceramente … é que não é uma, nem duas vezes. São todas as sextas-feiras. pensam que eu não tenho mais que fazer?
Desculpem lá o desabafo, mas tinha de ser. Por favor … poupem-me!