Arquivo de etiquetas: Literatura

O livro está disponível!

O livro físico de “Angel Gabriel – Pacto de Sangue” já está disponível para compra através da Amazon (US, UK, DE, FR, ES, IT, JP, CA, BR, IND), e em breve também em mais livrarias online.
Esta nova edição também já está à venda em ebook na SmashwordsKobo, Amazon (US, UK, DE, FR, ES, IT, JP, CA, BR, IND), e em breve estará em todas as lojas onde estava antes.

AG-PS-cover

Esta edição especial de 5 anos vem com uma nova revisão minha, uma revisão profissional da Ana Ferreira, três novos capítulos (incluíndo um novo capítulo inicial), entre outras pequenas mudanças.

Mas é claro que não me vou esquecer de quem já comprou a primeira edição e quer ler os capítulos extra. Para vocês que me apoiaram na primeira edição, comprando o ebook, eu tenho a oferecer um desconto de 80% nesta nova edição ebook.
Infelizmente não posso (para já) oferecer-vos nenhum desconto na versão física, mas caso comprem o livro físico, terei todo o gosto em oferecer-vos um pack de marcadores (de entre todos estes)  e um desenho-postal da vossa personagem favorita.
Estas duas últimas ofertas estão também disponíveis para quem compre qualquer uma das novas versões do romance (livro ou ebook).
Para requistarem o desconto por favor envie-me um email para anacorvonunes@gmail.com com o vosso comprovativo de compra original (da Amazon, Smashwords, Kobo, ou outro) e eu enviar-vos-ei um cupão de desconto.
Para quem quiser receber os marcadores oficiais e o postal-desenho (original e único), os detalhes estão na parte final da nova edição do livro/ebook.

Em breve trarei mais novidades e um pequeno relato desta aventura de revisão que começou no início do ano e demorou mais tempo do que o planeado (mas valeu pelo resultado, espero)

Comprem já o vosso exemplar!

Resumo:
Num futuro distante, a extinção dos humanos aproxima-se.
A magia e o silêncio são as únicas armas eficazes para proteger a espécie.

Já não existem vidas pacatas, mas a de Angel é o que de mais próximo há disso. No refúgio ela sobrevive ao perigo dos vampiros e ao domínio dos Primordiais, mas os segredos que Angel e a mãe escondem há anos não permanecerão ocultos muito mais.

Quando Cornivar descobre a localização delas, o ataque é impiedoso e só a magia de Angel e da mãe pode salvar todos os habitantes do refúgio de Kirovohrad.

Agora, prisioneira de um pacto de sangue criado pela sua própria mãe, Angel terá de unir-se a Gabriel, o mais poderoso dos vampiros Sekhmet. Juntamente com a sua irmã, Amilda, e Davet, terão de percorrer a Europa em busca de uma solução para o seu problema. Ou será que procuram uma resolução para todos os problemas?

Anúncios

Viajar pelo mundo através dos livros

Num jardim calmo, no centro da cidade de Barcelos, sentada à sombra de uma magnólia, estou eu. Os pombos depenicam o pão que um outro senhor lhes deitou, as crianças pedalam nas suas bicicletas sob o olhar atento dos seus pais, um cão cheira-me a sapatilha, mas eu continuo a ler.

E nem sequer estou ali.

Estou mas não estou, porque o livro que leio leva-me para um lugar totalmente diferente.

Viajar pelo mundo através dos livros

Nos últimos meses, e a bem dizer durante toda a minha vida, li muitos livros que me levaram a visitar outros países, outras culturas, outro planetas, outras mentalidades. Qual o leitor que não se sente transportado do seu banco de jardim ou sofá ou cama quando lê um bom livro? Qual o leitor que não visitou um local e se recordou de ler, um dia, um livro que descrevia aquele mesmo lugar?

Bem se diz que ler é viajar, é abrir horizontes, estender o nosso ser até que este alcance um outro ponto da terra, do universo até.

Falando apenas de leituras recentes: “O Deus das pequenas Coisas” (de Arudhati Roy) levou-me a revisitar a Índia, o seu sistema de castas e o seu povo intrigante. E digo revisitar porque já antes um outro autor me levara até aí: Aravind Adiga (com “Entre os Assassinatos“); “Israel Sketchbook“, do português Ricardo Cabral, levou-me numa viagem visual a este local onde nunca coloquei os pés; “O Buda Azul” (de Cosey) ilustrou de forma mágica o Tibete num tempo conturbado, e que fascinante viagem esta foi.

Mas nem só para lugares reais podemos viajar nas páginas dos livros. “A Cidade das Ilusões” (de Ursula K. LeGuin) leva o leitor a percorrer com o seu protagonista uma imensidão de terreno que poderá, outrora, ter sido a América, mas que deixou há muito de o ser. “The Knife of Never Letting Go” (de Patrick Ness) transporta o leitor para um planeta diferente onde conhecemos outro povo, outras mentalidades e formas de viver.

Também como escritora gosto de fazer o leitor viajar, por mundos totalmente ficcionais ou baseados no real. Em “Angel Gabriel – Pacto de Sangue” as minhas personagens viajam por grande parte da Europa, começando na Ucrânia, passando pela Alemanha, Espanha e outros países.

Mas nem é só pelo espaço que os livros nos levam a viajar, também cruzamos o tempo, para trás e para frente, ou até mesmo para os lados. O poder da literatura é infinita e é para lá que o leitor muitas vezes vai.

E vocês? Quais foram os livros recentes que mais vos fizeram viajar? Há algum que guardem particularmente na memória?

Natal e opiniões

Na época de natal de 2015, que não terminou assim há tanto tempo, surgiram várias novas opiniões ao meu conto “A Última Ceia“, muito provavelmente por causa de maratonas literárias e por o conto se passar nesta época do ano.

Em blog encontrei a opinião no Sleep Less, Read More (Delirious Beautiful Mind) e depois há várias opiniões no Goodreads.

Delirious Beautiful Mind - 20151225

Não posso dizer que todas foram opiniões favoráveis mas é bom ver que mesmo depois de 3 anos, o conto ainda tem leitores, ou não fosse ele o meu bestseller (graças estar grátis desde o primeiro dia), e uma presença constante no Top 10 da Amazon Brasil.

Se já leram eu adoraria saber a vossa opinião. Deixem-na nos comentários, ou  se comentaram em blogs e sites, por favor digam-me o link para eu visitar. Quer seja uma boa ou má opinião. Gosto sempre de saber o que acham os leitores.

Beijo Gay – a polémica

Vi hoje a “entrevista/confrontação” de Marília Gabriela, onde questionam a apresentadora sobre a fotografia tirada ao seu filho, Theodoro Wallace, no Carnaval: fotografia essa em que Theodoro beija um outro homem. Ora esta notícia relembrou-me uma ainda mais chocante, a meu ver, do início do mês, por causa da polémica causada pelo primeiro beijo gay transmitido numa telenovela angolana. Esta polémica em volta da telenovela “Jikulumessu” resultou na edição (leia-se corte) das cenas mais … chocantes.
Vejam a dita cena chocante:

E digam lá que não é uma parvoíce fazer alarido e dar razão a quem se manifesta contra uma coisa destas. O que é que há de chocante nisto? Pensava que eu que a sociedade estava mais evolúida que isso, mas parece que, em certa medida, estava enganada.
O primeiro beijo gay em telenovela brasileira, ao que apurei, foi entre lésbicas, num episódio de “Amor e Revoluçao”, em 2011. Por outro lado o primeiro beijo gay em telenovela portuguesa foi na Dancin’ Days, em 2013. Mas, tanto quanto percebi, já nos anos 90 no Brasil tinham tentado inserir uma cena em telenovela, que foi então rejeitada. Coisas recentes portanto.

Ora uma pessoa não tem que ser homossexual/lésbica para achar que a homossexualidade já não é tabu. Mas, por outro lado, compreendo que para muita gente isto ainda seja algo estranho. Isso, no entanto, não é razão para se censurar telenovelas, ou outro meio qualquer.

Beijo Gay - a polémicaJá na literatura, encontrar um livro com um protagonista homossexual/lésbico/bissexual começa a ser mais fácil mas ainda não está acessível a todos. No entanto cada vez mais existem personagens secundárias que o são.

Nas minhas histórias a maioria dos casais são heterossexuais, no entanto poderão ficar surpreendidos em saber que a protagonista do meu romance e BD Alma é bissexual.
– No conto “Segredos e Impulsos” Garnath envolve-se com uma mulher. Podem ler o conto na antologia “Um Toque de…“.
– No meu romance “Angel Gabriel – Pacto de Sangue“, Leyida, uma vampira, é lésbica. Podem ler o romane AQUI (vejam os distribuidores)
– Em “Através do Vidro“, na quarta parte existem vários casais homossexuais e alguns deles são estrelas principais desta parte narrativa (este trabalho ainda não está disponível para leitura).
– No “Água Mole em Pedra Dura” (romance em que estou a trabalhar) uma personagem é assumidamente bissexual, outra é homossexual e outra finge que não sabe que é (ou tenta negar-se).

E vocês o que pensam disto? Acham que estas são o tipo de cenas que devem ser censuradas? Questionadas em praça pública? Deixem os vosos comentários, leiam as histórias e digam-me o que acharam delas.

Mais opiniões

Aos poucos vão chovendo algumas novas opiniões sobre os meus trabalhos. Aqui ficam as mais recentes:

por mundos divergentesSobre “Dispensáveis” (in Por Mundos Divergentes), opinião de Artur Coelho no Intergalactic Robot:
«O conto ganha pontos pela coragem da autora em não mostrar a sociedade espontânea dos inúteis e ineptos como algum farol de esperança, seguindo o caminho do desespero completo.»

– Sobre “Electro-dependência” (in Lisboa no Ano 2000), opinião de Nuno Ferreira no Goodreads:
«Temos depois o primeiro conto que li da autora Ana C. Nunes, Electrodependência. Esta autora também é ilustradora de banda desenhada e posso garantir que a sua escrita é igualmente gráfica. Gostei muito. O protagonista é um eletrokinético que se usa dos seus poderes sobrenaturais para vender a sua droga, uma droga a que só os ricos têm direito. A droga da electricidade. É um conto rico em detalhes visuais que me agradaram bastante.»lisboa no ano 2000

E tu já leste estes dois contos? O que achaste?

Desafio literário 2010

Hoje descobri este Desafio, em vários blogs, e que me levou até ao blog da RomanceGracinha. Decidi entrar, porque parece muito interessante e há tanta gente a participar, tanto no Brasil como em Portugal.

O desafio consiste em escolher um livro para ler em cada mês do ano 2010, subjogado a um tema pré-definido. Aqui fica a minha lista então:

JANEIRO:  Romance de banca (tipo Harlequin, Sabrina, etc.)
Principal: “Uma última noite”, de Nora Roberts
Reserva: “Hot Ice”, de Nora Roberts

FEVEREIRO: Contos de fada (livros baseados)
Principal: “Neverwhere – A terra do nada” de Neil Gaiman
Reserva: “Fortune’s Folly”, de Deva Fagan

MARÇO: Clássico (Universal)
Principal: “A volta ao mundo em 80 dias”, de Jules Verne
Reserva: “Lolita” de Vladimir Nabokov

ABRIL: Autor(a) Latino-Americano(a)
Principal: “A casa dos espíritos”, de Isabel Allende
Reserva: “Crónica de uma morte anunciada”, de Gabriel García Márquez

MAIO: Chick-Lit
Principal: “Good in bed”, de Jennifer Weiner
Reserva: “Undead and unwed”, de Mary Janice Davidson

JUNHO: Autora Brasileira
Principal: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles
Reserva: “A obscena senhora D” de Hilda Hilst

JULHO: Adaptado ao cinema
Principal: “O leitor”, de Bernhard Schlink
Reserva: “Eu sou a lenda”, de Richard Matheson

AGOSTO: Romance Policial
Principal: “Os homens que odeiam as mulheres”, de Stieg Larsson
Reserva: “As dez figuras negras”, de Agatha Christie

SETEMBRO: Romance histórico
Principal: “Meridiano de sangue”, de Cormac McCarthy
Reserva: “O romance de Genji 1”, de Murasaki Shikibu

OUTUBRO: Lição de vida
Principal: “Uma questão pessoal”, de Kenaburo Öe
Reserva: “Por treze razões” de Jay Asher

NOVEMBRO: Autor(a) Português(a)
Principal: “Sr. Bentley, o enraba-passarinhos”, de Ágata Ramos Simões
Reserva: “A última feiticeira”, de Sandra Carvalho

DEZEMBRO: “Coração” (palavra incluída no título)
Principal: “Inkheart – Coração de tinta”, de Cornelia Funke
Reserva: “A mecânica do coração”, de Mathias Malzieu


Nota: Esta lista ainda poderá ser alterada até 31 de Dezembro 2009.
Nota 2: Possivelmente vou criar um blog, para além deste, onde possa colocar as minhas opiniões literárias. Afinal este blog é suposto ser dedicado à escrita.

Dose diária 17

Mais um dia em que escrevi tão pouco que nem sequer é digno de resgisto.
O mais engraçado no meio disto tudo é que, embora esteja atrasada por quase quatro mil palavras, não me sinto “pressionada”. Acho que estou demasiado calma, confiante demais. Depois vou chegar aos últimos dias e andar sem dormir para conseguir chegar ao fim. -_-

Noutra nota, estou a pensar seriamente em entrar no NaNoFiMo, em Dezembro, porque embora na realidade tenha de fazer  uma revisão profunda ao Angel Gabriel, também pretendo escrever muitas cenas que não incluí no 1º rascunho. Assim sendo, acho que ainda estaria dentro do espírito do NaNoFiMo, mas ainda não me decidi totalmente.

Hoje li as primeiras 20 páginas dos “Jogos da fome” da Suzanne Collins, e deixem-me dizer: “alguém me ofereça este livro, por favor!”. Amei! A sério. Estou apaixonada. Se eu já o queria antes de ler, agora é que tenho mesmo de o ter. E não sei se aguento esperar até ao Natal. *Roio-me toda porque sei que não posso comprar mais livros este mês*

Mais coisas que não têm nada a ver mas das quais me apetece falar …
– Estava eu a ver um episódio da 1ª temporada da “Xena – The warrior princess” quando um Centauro se sai com esta pergunta, para uma Amazona: “Would you like to ride me?” – O.o … ri-me tanto que quase caí da cadeira.
– Foi bom voltar a ver um episódio novo do “Doctor Who” e agora é esperar até ao especial de Natal e depois para o ano de 2010 deve começar uma nova temporada com o novo Doctor. Veremos se gosto do novo. Estou muito afeiçoada ao que faz agora e acho que vai ser ainda mais difícil adaptar-me do que quando mudou da última vez (e o outro só esteve uma temporada no ar).

Contagem “Através do vidro“: 1 906 palavras.
Contagem: 25 311 palavras.