Arquivo da categoria: Lobo e Dragão

A vida repete-se * Life repeats itself

Semanário 159

São muitas as vezes que penso em parar com este relatório semanal. Ou porque acontece muitas vezes de pouco ter para dizer, ou porque não consigo dinamizar isto tanto quanto gostaria, ou simplesmente porque me apetece desistir de tudo (aqueles momento em que achamos que nada do que fizemos até aqui valeu de alguma coisa; sabem como é?).
Mas tenho resistido a isso e cada vez mais penso: porquê? E depois lembro-me de porque comecei isto em 2008 e as dúvidas desaparecem.

Gostava de poder ser eloquente e confiante ao dizer que vou continuar com isto, não tanto pelos leitores (embora também por eles), mas porque sei que preciso disto.
Já o disse várias vezes, mas repito: sou das pessoas que trabalha melhor quando sabe que tem ‘contas a ajustar’, nem que seja consigo mesma. Sabendo que tenho todas as semanas de vir aqui falar do meu progresso literário, faz com que não me encoste ao sofá sem fazer nada porque depois vou querer enfiar a cabeça num buraco quando chegar a segunda-feira e eu apenas puder dizer: “Não fiz nada!”

O que, felizmente, não foi o caso da semana passada. Mas, como já perceberam, tive de qualquer forma algumas dúvidas em relação à minha dedicação a esta arte que tanto gozo me dá, mas que também tantas dúvidas me traz.
Vale a pena? Acredito piamente que sim, mesmo quando o retorno não é o esperado.

O que é mais engraçado é que toda esta conversa (possivelmente repetida, de alguma forma, ou não andasse eu nisto há mais de 3 anos) não surge por culpa do email que recebi dizendo que o meu conto, “Segredos e Impulsos“, não foi seleccionado para a antologia A Fantástica Literatura Queer (embora eu tenha ficado um pouco triste em sabê-lo, como seria de esperar).
Não, nem foi isso que me deixou em baixo, até porque julgo que começo a ficar um pouco mais imune a rejeições. Não que estas alguma vez se tornem fáceis, mas quem sabe se tornem mais suportáveis. (Ou não?!)
E já que falo em “Segredos e Impulsos“, vou dar-lhe uma nova revisão, enviar para alguns beta-readers e depois decidir se o guardo para futuras submissões a outras antologias, ou se o revelo aqui no blog. Ainda não decidi, mas logo vos informo.

Ainda não comecei a rever o “Dragões e seus Sacrifícios” para grande decepção minha, mas sei que não foi por falta de vontade ou determinação e isso é bom o suficiente (ou terá de ser).
No entanto prossegui na delineação da história do “Lobo & Dragão” e quanto mais avanço com o resumo detalhado, mais percebo que esta história é gigantesca! Possivelmente o resultado de andar a matutar nela desde 2001. Quando se pensa muito numa coisa, ela cresce e cresce e (Adivinharam?) CRESCE!

E só para terminar fica a informação que no sábado, dia 5 de Maio, teve lugar o 2º encontro do Clube de Leitura de Braga, onde foi discutido o livro “A Fenda” da Doris Lessing.
O próximo encontro está marcado para 2 de Junho e o livro em discussão será “Os Malaquias” de Andréa del Fuego. Juntem-se a nós!

Já agora algum dos leituras daqui do sítio foi seleccionado para a A Fantástica Literatura Queer? E noutras antologias, alguém tem tido sorte?

 

*ENGLISH*

Weekly 159

Many times I think about ceasing this weekly report. It’s either because it happens too often that I’ve very little to say, or because I can’t make this as dynamic as I’d like, or simply because I feel like giving up on everything (those moments when you think that nothing you did was worth anything; You know?).
But I have persisted and that’s why all the more often I think: why? But then I remember why I started this in 2008 and the doubts just vanish.

 

I’d like to be more eloquent and confident while saying that I’ll keep doing this, not as much for the readers (although I think of them), but because I know that I need this. I’ve said it many times, but I’ll say it again: I am a person who works best when she knows she has to report back to someone, even if only to herself. Knowing that every week I have to come here and talk about my literary progress makes it impossible for me to just idly sit around, because, come Mondays, I’ll want to shove my head in a hole if all I have to say is “I didn’t do anything!”.

 

This, happily, wasn’t the case for last week. But, as you’ve noticed by now, I had more than a few doubts plaguing me in regards to my dedication to this art, which brings me so much joy but also many doubts.
Is it worth it? I really believe it is, even when the result isn’t what we idealized.

 

The funniest thing in all of this is that this ‘talk’ (possibly repeated in one way or another, since I’ve been doing this for more than three years) does not come aboard because I received notice that my short-story, “Secrets and Impulses (Segredos e Impulsos)” was not selected for the anthology The Amazing Queer Literature (although I’m sad to know this, as expected).
No, this wasn’t what let me down, and I actually believe I’m becoming a little immune to rejections. It’s not lie they ever become easy, but maybe more bearable. (Or is it?!)
And since I’m on the topic of  “Secrets and Impulses (Segredos e Impulsos)”, I’ll be giving it another revision, sending it to a few beta-readers and decide if I’ll save it for later submissions to other anthologies, or if I’ll post it here on the blog. I haven’t decided yet, but I’ll soon be informing you.

 

I have yet to start revising “Dragons and their Sacrifices”, to my great disappointment, but I’m sure it’s not caused by lack of will or determination and that will have to be good enough for now.
Yet, I did get ahead on the outline of “Wolf & Dragon” and the more I write with the detailed resume, the more I realized this story is enormous!
Possibly the result of my engagement to this project since 2001. When you think too long on something, it grows and grows and (guess what?) GROWS!

 

Finally I have to register here that on Saturday, May 5th, the 2nd encounter of Braga’s Reading Group took place, and the book discussed this time around was “The Cleft” by Doris Lessing.
The next meeting is scheduled for June 2nd and the book chosen was “Os Malaquias” by Andréa del Fuego. Join us!

 

And since we were on the subject, did anyone here get his/her short-story selected for The Amazing Queer Literature? And what about other anthologies, anyone has had any luck?


Nos meus outros blogs * On my other blogs:
– Compras – Abril 2012;
Clube de Leitura de Braga – Maio;
– “Empowered – volume 1“, de Adama Warren;
–  2º Encontro do Clube de Leitura de Braga;
– “Watashitachi no Shiawase na Jikan“, de Sumomo Yumeka.

Anúncios

A meta * The finish line

Semanário 158

Abril chegou ao fim e com ele terminou o ScriptFrenzy.
Ainda não foi desta que venci mas estou satisfeita. Terminei o desafio com 74 páginas de guião (de banda desenhada) escritas para “Lobo & Dragão“.
Falta muito para a história estar toda escrita, mas já é um grande avanço.
Entretanto, à mão, já delineei a história até um ponto mais avançado e vou continuar a fazê-lo nos próximos dias para ver se a história fica toda organizada.

Perdoem-me a brevidade do relatório desta semana, mas realmente não há muito mais a dizer.
Planeio agora regressar (iniciar?) à revisão de “Dragões e seus Sacrifícios” (e com sorte encontrar um título que me agrade mais). Os próximos dois meses prometem ser trabalhosos.

Ah! Já quase me esquecia de dizer que a banda desenhada “Não alimentem a Caveira” (baseado no meu romance “Não Apodreças nos meus Braços“), escrita e pintada por mim, com desenhos do Rui Alex, vai ser publicada no Zona Nippon 1, a ser lançada no dia 5 de Maio.
Se comprarem a revista digam-me o que acham. No interior está também uma ilustração da minha autoria.
Abaixo fica a capa da revista e uma amostra da BD “Não alimentem a Caveira” (cliquem para aumentar):

*English*

Weekly 158

April has come to an end and with it the end of ScriptFrenzy.
This still wasn’t the year I won this but I’m still happy. I finished the challenge with 74 pages of comic script written for “Wolf& Dragon“.
There’s still a long way to go before the story is finished, but it’s an improvement.
In the meantime, by hand, I drafted the story until a more advanced point, and I’ll keep doing it for the next few days to see if I lay out all of the story.

Forgive the brevity of this week’s report but really there isn’t much to say.
I’m hoping, now, to get back (start?) to revising “Dragons and their Sacrifices” (and luckily find a better title). The next few months promisse to be filled.

Ah! I almost forgot to say that the comic “Don’t Feed the Skull” (based on my novel “Don’t Rot in My Arms“), written and soloured by me, with drawing by Rui Alex, will be publihed in Zona Nippon 1, set to be released on May 5th. If you buy the magazine, tell me what you think of it. Inside you’ll also find an illsutration drawn by me.
Bellow is the magazine’s cover and a sample page from comic “Don’t Feed the Skull” (click to enlarge)

 

Nos meus outros blogs * On my other blogs:
– “Peeps (Parasite Positive)“, de Scott Westerfeld;
1001 livros que devemos ler antes de morrer;
1º Encontro do Clube de Leitura de Braga;
Participação na Zona Nippon 1;
– “O Heróico Major Fangueira Fagundes“, de Luís Novais;

Sub-Tramas * Sub-Plots

Semanário 157

Numa semana em que tive de tirar mais tempo para ler e estudar, acabei por pouco conseguir gerir por forma a escrever. Assim continuo na corrida para o ScriptFrenzy (o final aí tão perto), com 59 páginas prontas do guião de “Lobo & Dragão“, mas ainda muito para escrever.

Mas o que eu fiz muito esta semana foi escrever. E dizem vocês: «Eh?!? Mas ainda agora disseste que não escreveste!»
Hehe! Deixem-me explicar. Eu não escrevi guião ou prosa, propriamente dita, mas escrevi várias páginas com a delineação da história (“Lobo & Dragão“) de forma a facilitar-me a tarefa quando chego ao computador e começo a teclar. Já tinha tudo mais ou menos delineado, mas desta vez fui mais ao pormenor, com várias cenas incluídas e maior atenção às inconsistências da trama e à sequência de acção.
Ainda só vou a meio da delineação e já sei que as 100 páginas nem aí vão chegar, mas pelo menos vou tentar escrever todas as cenas e depois, mesmo que não termine o guião já, sempre ficam as ideias apontadas e mais tarde conseguirei mais facilmente voltar à história se tudo já estiver planeado.

O que aconteceu enquanto escrevia isto, é que percebi que tenho personagens a mais, ou melhor dizendo, tenho sub-tramas a mais. Quis tornar o enredo tão rico que acabei por me espalhar demasiado e quando percebi isso fiquei sem saber muito bem o que fazer. Sacrificar as histórias secundárias e focar-me somente na trama central? Mas isso não tornará tudo muito linear? Sem graça?
Ou devo continuar com as sub-tramas de forma a tornar a história mais rica, correndo o risco de desviar a atenção do enredo central?
Tudo isto está em causa porque tenho muitas personagens. Principais são só duas: Unkei e Rie; depois tenho as secundárias-quase-principais: Eisen, Kaori, Katsunosuke, Fusae, Bunrakuken e Akiko; e por fim as secundárias que são cerca de trinta.
O que aconteceu foi que por sentir que estava a sufocar a trama central acabei por não dar tanto enfoque às personagens quase principais e com isso sinto que a história está a perder alguma vitalidade.

Já vos aconteceu algo semelhante? O que preferem: Livros com muitas personagens e muitas tramas, ou livros mais focados em 2-4 personagens e apenas com menções a outras?

Sei que poderei resolver algumas destas falhas numa posterior revisão, mas este foi um tema no qual pensei muito esta semana que passou.

Por fim fica a nota que no passado sábado (21 de Abril) teve lugar o 1º encontro do Clube de Leitura de Braga. Foi uma tarde bem passada, com um grupo pequeno mas participativo. Certamente valerá a pena repetir.
O livro escolhido para o próximo encontro (5 de Maio) foi “A Fenda” de Doris Lessing. Apareçam!

 

*English*

Weekly 157

In a week were I had to tae more time for reading and studying, I wound up not managing to write much. This way I’m still on the ScriptFrenzy race (the end is near), with 59 pages ready for the “Wolf & Dragon” script, and still loads to write.

But what I did a lot of this week was writing. And now you all go: «Huh? But you just said you hadn’t written!»
Hehe! Let me explain. I didn’t write prose or script, per say, but I wrote several pages od story planning (“Wolf & Dragon”) in a way that would simplify my job when I finally sat down at the computer to start writing. I already had the plot mildly planned, but this time I went further, into more detail, including several scenes and focusing on inconsistencies to the plot and the action sequence.
I’m still only halfway across with the planning and already I know that the 100 pages won’t even go that far in the story, so at least I want to write down all the scenes and the, even if I don’t finish the script now, the ideas will be written down and later on it will be easier for me to pick them up.

What happened while I was writing that was that I realized I have too many characters, or better saying, I have too many sub-plots. I wanted to enrich the story so much that I ended up spreading to far and when I realized this I had no idea what to do. Sacrifice the secondary stories and focuse solemnly on the main plot? But won’t that make everything too linear? With no interest?
Or should I keep the sub-plots that will enrich the story, taking the risk that it might divert attention from the main plot?
All of this is on the plate because I have too many characters: Two main characters: Unkei and Rie; then the secondary-but-almost-main: Eisen, Kaori, Katsunosuke, Fusae, Bunrakuken e Akiko; and finally the really secondary ones that should be close to thirty.
What happened was that I felt I was suffocating the main story and I ended up not giving as much time to non-main characters and I believe with that the story looses a bit.

Has anything similar ever happened to you? And what do you prefer: Books with lots of characters and plots, or books more focused on 2-4 characters and simple mentions of everyone else?

I know I can fix some these flaws in a later revision, but this is a theme in which I thought a lot this past week.

Lastly, I’d like to leave a note relating to last Saturday (April 21st) when the 1st meting for the Clube de Leitura de Braga (Braga’s Reading Club) took place. It was an afternoon well spent, with a small but participative group. Surely something to repeat.
and the book chosen for the next meeting (May 5th) was Doris Lessing’s “The Cleft”. All are invited to join us!

Onde dividir os capítulos? * Where to Break Chapters?

Semanário 156

Ao escrever o “Lobo & Dragão” uma velha dúvida surgiu: Onde partir a acção? Onde fechar um capítulo? Onde começar o novo capítulo? Como sabemos onde parar?
Será que devemos quebrar a acção de forma a deixar um enorme cliffhanger e obrigar o leitor a ler logo de seguida o capítulo seguinte, ou devemos fechar uma acção, finalizar uma cena, deixando alguma curiosidade mas não forçando o leitor a seguir logo de imediato com a leitura?

Confesso que enquanto leitora prefiro que cada capítulo feche uma cena. Isto porque normalmente pauso a leitura no fim de capítulos. Se um capítulo termina com cliffhanger eu vou querer continuar de imediato a leitura, uma e outra vez, sem nunca sentir que posso parar. Isto, por um lado, é óptimo porque mantêm o interesse, mas por outro é mau pois o leitor também precisa respirar para poder pensar no que lê. No entanto conheço muitas pessoas que preferem o oposto de mim, gostam de livros cujos finais de capítulos os mantêm sempre na expectativa, como um filme de acção.

No entanto tudo isto depende de muitos factores: tipo de história, passo narrativo, estilo do autor, etc.

Enquanto escritora tento que os meus capítulos não sejam nem demasiado curtos, nem demasiado compridos (mais que duas páginas e menos que dez, sempre que possível), no entanto já me aconteceu de ter um capítulo muito mais longo que todos os outros do mesmo livro e nesses casos a solução talvez seja mesmo cortar o capítulo algures, talvez até mesmo usando da acção para deixar o final na expectativa do que se segue.
Uma coisa que tento sempre fazer é manter os capítulos todos sensivelmente do mesmo tamanho e coerentes em termos de estrutura, mas isso faz parte do meu estilo.

Enquanto leitora o que não gosto mesmo é de capítulos demasiado pequenos (uma página ou menos, quando estes são muito frequentes) ou capítulos demasiado grandes (trinta ou mais páginas), por isso ao escrever e normal que evite ambos ao máximo. Claro que que o ocasional uso de um ou outro poderá não ser desfavorável, mas quando o padrão se repete pelo livro todo, julgo que a leitura se torna mais dispersa e até mesmo difícil.

Já no caso dos inícios de capítulos, tento sempre que a narrativa recomece em algo cujo interesse seja anda maior que no final do capítulo anterior, talvez até com algum mistério ou curiosidade. Mesmo quando um capítulo se inicia numa cena mais banal, tento que as primeiras sentenças captem novamente a atenção do leitor, não necessariamente através de jogos de palavra enganadores ou mesmo acções forçadas cujo único propósito é chamar a atenção, mas em coisas que façam a história avançar e mostrem progresso a nível das personagens. Escusado será dizer que é isto que gosto também de ler nos trabalhos dos outros.

Enquanto leitores, o que é que preferem? E enquanto escritores, que estratégia usam para terminar e iniciar capítulos?

Mas antes de terminar tenho de falar no que deveria ter (talvez?) dado início a este post: O meu relato da evolução semanal da escrita.
Como se devem lembrar, estou a fazer o ScriptFrenzy e estou a escrever o guião de banda desenhada para “Lobo & Dragão“, estando finalmente com uma boa contagem: 50 páginas! (que era exactamente  número de páginas que devia ter ontem e tinha). Por isso estou contente com o progresso e só espero conseguir manter o ritmo até ao final do mês.
Impressionantemente grande parte do que escrevi foi teclado no Sábado, ao fim da noite. Sentei-me na sala, só com a música a tocar e escrevi 19 páginas! Fiquei surpreendida, mas a história escorreu tão bem que tive dificuldade em parar. Julgo até que se não tivesse que me levantar cedo na manhã seguinte, teria escrito outras tantas (ou mais).

Mas o assunto no início deste post veio à baila por culpa do 1º capítulo do “Lobo & Dragão” que, imaginem bem, acabou com 41 páginas de BD e 50 de guião (não é pouco usual para mim que uma página de BD se traduza em duas de guião, já que gosto de ser descritiva). Isto significa que exagerei! E como tal vou ter de partir o capítulo a meio algures.
41 páginas de BD para um capítulo é muita coisa! Metade chega e sobra.
Como no Domingo não estive em casa, não tive tempo para solucionar isto, mas estará para breve.

Também devo referir que no Sábado tivemos mais uma reunião de escritores no Porto e parece que cada vez o grupo é maior. Yay!
Infelizmente tivemos um pequeno ‘contratempo’ no Guarany. Mais uma vez tiveram lá uma palestra qualquer e, mais uma vez, julgaram que estavam numa biblioteca e tiveram o desplante de nos ‘pedir’ para nos calarmos falarmos mais baixo. Pois o grupo abandonou o recinto e mudou de instalações. Fomos para o Farggi, que também tem um espaço bem acolhedor.
Gosto muito do Guarany (o pessoal é simpático, o ambiente é excelente e o local é central), mas cada vez mais somos chateados por estas pessoas que vão para um café fazerem palestras/apresentações morosas e pensam que os outros têm de estar calados. Um café é um lugar público!
Por isso foi já sugerido por alguns participantes destes encontros que agora passemos a marcar encontro no Farggi (ali bem pertinho). Vou ter saudades do Guarany, mas realmente já cansa o número de vezes que não podemos estar à vontade por causas alheias. 😦
Bem, para quem estiver interessado, não se esqueçam que estes encontro acontecem todos os Segundos Sábados de cada mês, no Porto. Qualquer pessoa será bem acolhida (muito ou pouco produtiva, curiosa ou aficionada), por isso apareçam!

*ENGLISH*

Weekly 156

While writing “Wolf & Dragon” and old doubt arose: Where to break the action? Where to close a chapter? Where to start a new chapter? How do we know when to stop?
Should we break the action and leave a cliffhanger that will force the reader to get onto to the next chapter right away, or should we close a scene, leaving curiosity on the loose but not forcing the reader to immediately follow up on the read?

I admit that as a reader I prefer that each chapter closes a scene. This is because I usually pause the reading at the end of chapters. If a chapter ends with a cliffhanger I will want to read more immediately, again and again, without ever feeling like I can stop. On one hand this is good because it peaks the interest, but on the other hand it’s bad because it doesn’t give the reader time to breathe and think about what’s being read. Still, I know a lot of people who prefer the opposite of me, books whose chapter endings keep them on the edge, like an action movie.

Still, it all depends on a few factors, such as: story type, narrative passing, author style, etc.

As a writer I try to make my chapters not too short nor too big (more than two pages and less than ten, when possible), still it happens that sometimes a chapter is much longer than the others on the same book and in this case maybe the solution is to slice the chapter somewhere, maybe even using the action to make the reader expect something great o follow.
One thing I always try to do is keep the chapters more or less the same in size and structure, but that’s just my style.

As a reader what I really don’t like are chapters that are too short (one page or less, when these are the rule and not the exception) or chapters that are too big (thirty or more pages), so as I write it’s natural that I avoid both as much as possible.
Of course, occasionally, the use one or the other might not be unfavorable, but when the pattern keeps repeating itself for the whole book, I believe the reading experience becomes more diluted and even harder.

As for the beginnings of chapters, I try that the narrative restarts somewhere where the interest is even bigger than at the end of the previous chapter, maybe with some mystery or curiosity attached. Even when a chapter starts on a more mundane scene, I always try that the first phrases recapture the reader’s attention, not necessarily through a game of words or even forced action sequences whose sole purpose is to call to attention, but with things   that make the story move forward and that show a significant progress in characterization. Needless to say, this is also what I like most to read in other peoples’ works.

As reader, what do you prefer? And as writers, which strategy do you follow to end and begin a chapter?

But before finalizing this I have to talk about what (possibly) should’ve started this post: my report on this week’s written progress.
As you probably recall, I’m doing ScriptFrenzy and writing the comic script for “Wolf & Dragon”, finally having caught up with the page count: 50 pages! Which was exactly where I should’ve been yesterday (and I was). So, I’m happy with y progress and I only hope to keep up the rhythm till the end of the month.
Amazingly a great part of what I wrote was made on Saturday, at the end of the day, just with music playing in my ears and I wrote 19 pages! I was surprised but the story just flowed so well I had a hard time stopping. I think that if I hadn’t had to get up early the next morning, I would’ve kept going till sunrise.

But the topic that started this post came to be because of the first chapter of “Wolf & Dragon” which, imagine this, wound up with 41 comic pages and 50 script pages (it’s not unusual for a comic page to be represented in two script pages). This means I overdid it! And that I’ll have to break the chapter somewhere.
41 pages of comic for one chapter e a lot! Half will suffice.
Since on Sunday I wasn’t home, I didn’t have time to manage this, but I will soon.

I also want to talk about Saturday’s Writer’s Meeting in Oporto, where it looks like the group just keeps on growing. Yay!
Unfortunately we had a little ‘problem’ at Guarany’s. Once more there was a presentation of sorts and, once more, they thought they were at a library and had the ‘audacity’ to ask us to shut up lower our voices (like we were that loud). Well, the group left the premises and changed to Farggi, which is also very accommodating.
I really like Guarany (the staff is nice, the place is excellent and the location is central), but more and more we are bothered by these types of people who go to a coffee-shop, make looong presentations and expect every client in the premises to shut up and listen. That is a public place, not a library!
So it was suggested, by some members of the group, that these meeting start taking place at Farggi’s (close by). I’ll miss Guarany but seriously, it’s getting tiresome to not be able to speak freely, and the number of times we had to heed others requests.

Well, for those interested, don’t forget that these meetings take place every second Saturday of every month, in Oporto. Anyone is free to join in (productive or not, just curious or furious), so come by!

Planos e Projectos (Semanário * Weekly 155)

Hoje começo por transmitir algo que já há umas semanas queria poder dizer: a página dos PROJECTOS está pronta!
Agora se passarem o rato pelo menu do topo, vão ver que existem várias sub-páginas, cada uma dedicada a um projecto meu.
Lá encontraram, resumos, curiosidades, informação e capas!
Já estava a trabalhar nisto há algum tempo, mas só hoje consegui terminar tudo e pôr online. Espero que gostem!
Os excertos terão de vir um pouco mais tarde, mas não devem tardar muito. Estou a pensar disponibilizá-los no blog mas também em formato pdf. Parece-vos boa ideia?

Além desta notícia de última hora posso também dizer que continuo a fazer o ScriptFrenzy e estou a divertir-me com a escrita do guião de banda desenhada para “Lobo & Dragão“.
Estou um pouco atrasada em relação à meta, mas nada que não se consiga recuperar se tudo correr bem. Conto com 18 páginas e a história começa a ganhar energia. Tenho é a sensação que quando chegar às 100 páginas nem 4 capítulos vou ter escritos. E isto quando planeio que o “Lobo & Dragão” tenha pelo menos uns vinte capítulos (provavelmente bastante mais).
Mas penso nisso quando chegar a altura, não vos parece?

Desculpem este semanário ser tão pequeno mas nem um excerto vou colocar. Ao invés fica a pergunta: Já visitaram os Projectos? Que acharam e, mais importante ainda, o que gostavam de ver lá mais?

Até para a semana!

*English*

Today I have to start by transmitting something I’ve been wanting to say for a while: The PROJECTS page is ready!
Now if you hover over the menu at the top, above Projects, you’ll see that there are several sub-pages, each dedicated to one of my projects.
There you’ll find synopsis, curiosities, information and covers!
I’ve been working on this for a while but only today did I finish it and manage to put it online. Hope you like it!
The excerpts will have to come later, but they shouldn’t be long. I’m thinking of making them available as posts and in pdf format. Does that sound good?

Aside from these last-minute-news I can say that I’m still doing ScriptFrenzy and having fu writing the comic script for “Wolf & Dragon”.
I’m a little behind on the page count, but it’s nothing I can’t recover with a  little determination. I have 18 pages written and the story is starting to pick up. Altough I have the feeling that by the time I reach the 100th page, I won’t even have 4 chapaters writer. And seeing as I’m planning “Wolf & Dragon” to have at least 20 chapters, that might be a problem.
But I’ll worry about that when the time comes, right?

I’m sorry that this Weekly Report is so short and I don’t even have an excerpt to show you. Instead here’s a question: Did you visit the Projects? What do you think, and, most importantly, what would you like to see there?

See you next week!

 

Nos meus outros blogs:
– Compras e Ofertas – Março 2012;
– “Graphic Storytelling and Visual Narrative“, Will Eisner;

ScriptFrenzy 2012

Mais um mês de Abril se aproxima e com ele chega o desafio anual ScriptFrenzy que, para quem não sabe, consiste em escrever um guião (Filme, Série, Teatro, Radionovela, BD, etc.) de 100 páginas em 30 dias.
Já participo desde 2009 mas como Abril é sempre um mês difícil para mim até hoje ainda não saí vitoriosa do desafio.

E que guião vou escrever?
Tal como nos anos anteriores vou escrever um guião de Banda Desenhada / Novela Gráfica. O projecto deste ano tem o nome de “Lobo & Dragão” e é das minhas ideias mais antigas. Já chegou a ter três versão BD mas todas morreram precocemente quando percebi que não estava a seguir o rumo certo com a história. No ano passado (2011), durante o 24 Hour Comics (15 de Outubro) desenhei uma história que é a prequela para a trama central, que pretendo então escrever neste Abril (pelo menos em grande parte, já que pelos meus cálculos 100 páginas não chegarão para deslindar toda a história).
Se estiverem curiosos, podem ver algumas páginas da banda desenhada AQUI e várias ilustrações/esboços relacionadas com o projecto AQUI.

Sinopse: Rie e Unkei são dois jovens nascidos de famílias rivais. Enquanto a família Ryusaki já esqueceu o passado, os Ookami continuam a guardar rancor e Rie foi ensinada desde muito nova a odiar Unkei. O seu ódio no entanto, foi canalizado para o combate e a competição em geral. Não raras vezes os dois entram em confrontos e o culminar dá-se numa competição anual no campeonato de Artes Marcias, do qual Rie saiu vencedora no ano anterior.
Mais uma vez o campeonato aproxima-se e Rie mal pode esperar para vencer
novamente. No entanto uma cadeia de eventos vai mudar a forma como ela vê e interage com todos à sua volta.
Quando as consequências dos seus actos batem à porta, Rie pode não está preparada para elas.

E aqui fica também um pequeno teaser-trailer para “Lobo & Dragão“:

Wolf & Dragon – Teaser from Ana Nunes on Vimeo.

E já que falamos em trailers, irei também escrever pequenos guiões para alguns booktrailers de projectos meus, que depois pretendo ‘produzir’ com brevidade, se para tal tiver oportunidade. Entre eles estarão os romances “Angel Gabriel ~ Pacto de Sangue“, “Alma“, “V.I.D.A.“, “Através do Vidro“, “Dragões e seus Sacrifícios” assim como as BDs “Que sorte a Minha” e “Lobo & Dragão“.
Podem ver o meu primeiro booktrailer AQUI (para a BD “Garnath e a Bola de Cristal“).

Podem seguir o meu progresso através do meu perfil no ScriptFrenzy.

*ENGLISH*

Another April is coming, and with it the ScriptFrenzy challenge which, for those who don’t know, consists in writing a script (Movie, TV Series, Theatre, Comic, etc.) in 100 pages in 30 days time.
I’ve been doing ScriptFrenzy since 2009 but since April is always a harsh month for me, I have yet to come out of it victorious.

And what script will I write?
As in previous years I’ll write a Comic/Graphic Novel script. This year’s project is “Wolf & Dragon” one of my oldest story ideas. It had three comic versions but they all ended early as soon as I realized the story wasn’t working out. Last year (2011), during  24 Hour Comics (October 15th)  I drew a story that is the prequel for what I intend to do this April (or at least, for the most part, considering I doubt 100 pages will be enough to tell this story).
If you’re curious you can see some comic pages HERE and several illustrations/sketches related to the project HERE.

Sinopsis: Rie Ookami and Unkei Ryusaki are two teenagers from rival families. While the Ryusaki family has let go of the past, the Ookami still linger to the hate of past times, and Rie was taught to hate Unkei, since she was very young. Yet, her hatred was concentrated solemnly on combat and competition in general. It’s not too rare to see the two in confrontations, and they fight against each other every year on a nation-wide tournment, in which Rie came victorious the year before.
The championship is near once more and Rie doesn’t hide her enthusiasm to win again. Still, a chain of events will change the way she sees and interacts with things and people around her. When the consequences of her actions come knocking, Rie will not be prepared to answer back.

Scroll up (before the green text) to see the teaser-trailer for “Wolf & Dragon“.

 

And since we’re talking about trailers, I’ll also be writing small scripts for booktrailers of some of my projects, which I will then produce to the best of my abilities, when the chance arrives. Among them are my novels: “Angel Gabriel“, “Alma“, “V.I.D.A.“, “Through the Glass”, “Dragons and their Sacrifices”, as well as the comics: “Just my Luck” and “Wolf & Dragon”.
Aside from the above shown teaser, I have my first booktrailer HERE (for the comic “Garnath and the Crystal Ball”).

You can follow my progress on ScriptFrenzy through my profile.