Caneta, Papel e Lápis

Um blog sobre escrita criativa, de Ana C. Nunes (A blog about writing fiction, by Ana C. Nunes)

NaNoWriMo Semana 4 (Semanário 136)

Deixe um comentário

(Estes post fala do meu avanço na escrita do romance temporariamente intitulado “Não Apodreças nos meus braços“.)

Quem viu o post anterior já sabe que eu terminei a história que estava a escrever. Por isso HURRAY! Não devo escrever muito mais até ao fim de Novembro (já só faltam 3 dias) porque estou a tentar fazer coisas que não tive oportunidade de fazer em Novembro (nomeadamente BD), mas a verdade é que também estou a pensar escrever uns contos, por isso não seria de admirar se ainda escrevesse mais qualquer coisa este mês.

Fica agora o apanhado diário da semana que passou, mas lembre-se que tenho de sr mais comedida no que conto, por causa de estes serem os dias que passei a escrever os últimos capítulos. Não vou contar o final, como devem imaginar.

DIA 21:
Contagem total no final do dia: 68318 palavras; contagem diária: 1699 palavras.
—– Ao som de boa música comece a escrever a cena da luta final (e que luta bizarra, envolve de tudo). Sou das pessoas que tanto se sente inspirada pela música, quando está a escrever, como depois tem de a desligar por lhe estar a ‘distorcer’ as ideias. É engraçado comprovar que quando escrevi o “Angel Gabriel” em 2008, fiz-lo ao som de músicas de Rock, com letra e isso não me incomodou; no entanto este ano, a escrever “Não Apodreças nos meus braços”, não suportava ouvir músicas com letra, ou se as tivessem, tinham de ser mesmo simbólicas para não me atrapalharem. Não sei se tem a ver com o meu estado de espírito ou com a história em si.

DIA 22:
Mais cenas de acção, com a grande luta ainda a decorrer e ganhar novos ‘peões’. Contagem total do dia: 70177 palavras; contagem do dia: 1859 palavras.
—– Andava eu, toda lampeira, a escrever que os polvo têm tentáculos e depois numa pesquisa de rotina descubro que afinal sou mais ignorante do que penso em coisas corriqueiras. Aparentemente os polvos não têm tentáculos, mas sim braços (com ventosas). Fica por perceber afinal qual a grande diferença.

DIA 23:
Foi um dia complicado, profissionalmente o que fez com que ficasse com menos disposição para escrever. Acabei por só conseguir 1669 novas palavras, que ainda assim foi mais do que contava quando comecei a escrever. Contagem total no final do dia: 71846 palavras.
—– Fiz algo um pouco controverso. Meti no meio do combate ‘pessoas’ que normalmente não deveriam lá estar (infelizmente na realidade acontecesse, mas não deveria). Não vou dizer como terminou, mas lembrem-se que isto é uma espécie de comédia.
Por outro lado a Morganda (a vilã) voltou aos seus discursos lunáticos sobre ingratidão. Até eu fico irritada a escrevê-la, mas faz parte da personalidade dela.

DIA 24:
A batalha chegou ao fim com as 1936 palavras que escrevi neste dia. Contagem total ao fim do dia: 73782 palavras.
—– A caveira voltou ao ataque e eu diverti-me a escrever falas dela/a enquanto tinha uma varinha na boca (ela/e mete tudo `boca’), o que deu frases no mínimo estranhas.

DIA 25:
Antes de me deitar acabei o que na altura julgava ser o penúltimo capítulo, ficando a faltar apenas o Epílogo. No entanto depois de me deitar fiquei a matutar na história e percebi que ainda me faltava um capítulo antes do Epílogo. Foi nisso que trabalhei durante o dia.
Também fui experimentar o word validator no site do NaNoWriMo e enquanto o Word (do meu PC) me dizia que eu tinha 74563 palavras, o site do NaNoWriMo dava-me 76090. Mais 1500 palavras! O.o Já nos anos anteriores me dava sempre mais palavras, mas acho que este ano bateu recordes de discrepância.
Contagem total no final do dia: 75951 palavras; palavras escritas no dia: 2169.
—– A Velna e o Jored tem uma conversa um pouco estranha e que termina de forma algo desconfortável para ambos. No entanto deu-me imenso gozo escrever a cena.
No capítulo que escrevi antes do Epílogo, voltei ao Inferno e escrevi uma cena que gostei bastante, não tanto pela acção em si mas pela forma como acabaria por a abordar.

DIA 26:
O fim de “Não apodreças nos meus braços” chegou às 23h50 do dia 26 de Novembro de 2011. Total: 78984 palavras (o site do NaNoWriMo contabilizou-me 80564 palavras). Ao todo para terminar neste dia tive de escrever 3033 palavras.
Posso só confessar que fiquei um pouco triste ao escrever o FIM. Ainda fiquei uns quantos minutos a olhar para o monitor e pensar se não havia mais qualquer coisa para eu adicionar, mais uma cena para incluir. Acho contudo que, para a história que é, o final ficou à altura e por isso se fosse adicionar seria para estragar. Por isso fechei o documento, como uma estranha sensação de vazio e fui dizer a toda a gente que tinha terminado. Só não soube festejar como devia de ser, pois nem um chocolate tinha para me presentear (Mentira! tinha um Ferrero Rochet, mas estava mola. Buh!)
—– Como devem imaginar não vos posso contar nada sobre o final, mas posso dizer que algures falei num estranho chá e houve discussão por razões absurdas.🙂

DIA 27:
Não escrevi nada. Não só porque já tinha escrito o “Fim”, mas porque decidi dedicar-me à banda desenhada, tão negligenciada no mês que está quase a terminar.
Foi por isso um dia de descanso em termos literários, por assim dizer.

Por tudo isto foi uma semana excelente, apesar de a nível pessoal e profissional ter sido o exacto oposto, este “Não Apodreças nos Meus Braços” acabou por me distrair o suficiente para que não ficasse a matutar no meu futuro incerto. Estou feliz por mais este objectivo cumprido e quero ainda oferecer-me algo simbólico por esta ‘vitória’ pois em todos os anos anteriores nunca me presentei. Acho que mereço, não?

A todos os que ainda estão a lutar para chegar à 50000: FORÇA! Nada se consegue sem algum sacrifício, mas saibam que mesmo que não cheguem ao número mágico, fizeram tudo o que podiam e não podiam. Isso sim é espírito vencedor. Nunca desistir!
Aos que não participam no NaNoWriMo, a mensagem é a mesma, pois julgo aplicar-se a tudo na vida.

Nos meus blogs Floresta de Livros e Asas da Mente:
Só a Leitura Salva, um vídeo e dois trailers;
– Garnath e a Bola de Cristal – Página 16;

No exterior:
Nanowrimo: the third quarter drop-dead, no blog de Alexandra Sokoloff;
NaNoWriMo Week 4: Behind, no blog de Deanna Knippling;
Opinião – A nostalgia da quimera: o fantástico é o género dominante na literatura portuguesa, um artigo de Octáio dos Santos no jornal Público;
How do you find Inspiration?, no Rhemalda Publishing;
Open Endings: Love ‘Em or Hate ‘Em?, no CreateSpace;
How to Describe Your Characters—and How Not to, no WordPlay;
When to Give up, no blog de Brigid Kemmener;
Conquering the Middles: A NaNo College Essay, no The Office of Letters and Lights;
When do you need an editor?, no The Book Deal;
How To Make Sure Your Book Is The Best It Can Be, no The Creative Penn;

Autor: Ana C. Nunes

I love to write, read and draw. I write novels, draw characters and, sometimes, graphic novels or comics.

Comente / Comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s