Caneta, Papel e Lápis

Um blog sobre escrita criativa, de Ana C. Nunes (A blog about writing fiction, by Ana C. Nunes)

Meme de Escrita (Writing Meme) 2

2 comentários

No seguimento do 1º Meme, aqui ficam mais algumas perguntas que encontrei noutros blogs, e que achei engraçado reponder.

28) Mostras o teu trabalho a outras pessoas? (Do you ever show people your work?)
Não costumava fazê-lo, mas agora mostro porque tenho um pouco mais de orgulho no que escrevo, embora só tenda a fazê-lo quando algo está terminado e nunca durante o processo de escrita criativa (à excepção de um ou outro excerto que coloco aqui no blog).

29) Já alguma vez escreveste um romance/novela? (Did you ever write a novel?)
É o que mais escrevo e onde melhor que consigo expressar.

30) Queres viver da escrita? (Do you want to write for a living?)
Eu quero muita coisa, mas a verdade é que vivo em Portugal e aqui só os Jet7, jornalistas e demais mediáticos é que conseguem viver da escrita. Embora escreva fantasia, não vivo em ilusões, por isso não acredito que tal seja algo fácil de fazer, embora não totalmente impossível. Contento-me se conseguir editar os meu(s) livro(s) e ter algum sucesso.

31) Alguma vez escreveste no formato guião cinema/teatro? (Ever written anything in script or play format?)
Cinema e teatro não, embora esteja seriamente a ponderar tentar (por divertimento), mas escrevi guiões para Banda Desenhada e Novelas Gráficas. Também conta, não é? Já escrevi “Que sorte a minha”, “Alma”, “Lobo & Dragão”. Vermelho Sangue”, “Heroína”, “Sons de Guerra”, mesmo “Angel Gabriel”, para além das curtas “Um dia alguém lhe disse …” e “Sonhos e Mudanças”. Acho que não me esqueci de nenhum.

32) Alguma vez escreveste algo baseado em ti mesmo ou nas tuas experiências? (Do you ever write based on yourself?)
Parece-me quase impossível não escrever sobre a influência do que se passa à minha volta. Não necessariamente comigo, mas aquilo que vejo, oiço, sinto, tudo me influencia. E sim, já baseie várias cenas em coisas que se passaram comigo e possivelmente passei algo de mim para as minhas personagens principais, mas não vou nunca dizer que alguma delas seja um alter-ego meu. A menos que estejamos a falar das minhas primeiras estória, que nem sequer podem ser chamads de originais. Aí a estória era outra, porque me sentia mais confortável a escrever estórias alternativas de mim mesma. Fases!

33) Das personagem que criaste, qual a mais parecida contigo? (What character have you created that is most like yourself?)
Como já disse, todas têm um pouco de mim, mas se tivesse de escolher, diria talvez a Rie, do “Lobo & Dragão” ou a Lara, do “No limiar da vida”.

34) Já te baseaste em arte que tenhas visto? (Have you ever written based on an artwork you’ve seen?)
A minha arte conta? Bem, não sei como responder a esta pergunta, porque acho que a arte me influencia constantemente, mas não de forma notória. Por exemplo, não posso apontar um quadro, desenho ou foto, específico, que me tenha inspirado em qualquer momento, mas sei que há várias, só que tudo se mistura e dissolve na altura de escrever.

35) Escreves como nas conversas de chat [dd tcls]? (Ever write anything in chatspeak [how r u?])
Muito raramente, e só em conversas online, mas tento sempre evitar, para não criar o hábito, e normalmente só em coisa muito simples, tipo substituir o “que” por um “k”.

36) Totalmente em L337? (Entirely in L337?)
Não, mas teve graça.

37) Esta última pergunta foi descabida e estranha? (Was that question appalling and unwriterly?)
Não. Fez-me lembrar um comic online que costumava ler (MiniTokyo, se não estou em erro).

As perguntas acima foram retiradas do blog Yogagumbo.

38)  Qual o teu estilo de escrita? (What’s Your Writing Style?)
Difícil!
Acho que pouco floreado, mas bastante extensivo. Dou muitas voltas às coisas, quando poderia simplificar tudo bastante mais. Às vezes acho que quem ler aquilo se vai perder, mas é o meu estilo e não sei se quero mudar. Teimosia, talvez. Não sou de falas poéticas e sou mais de narrativas que diálogos, não por não gostar deles, mas porque não me sinto tão à vontade, embora tenha tentado mudar isso nos últmos tempos. E acho que é o que posso dizer sobre o meu estilo.

39)  Fazes estudos detalhados dos teus personagens ou deixas-te levar pela escrita? (Detailed character sketches or “their character will be revealed to me as a I write”?)
Costumo fazer estudos detalhados, mas tudo depende. Para o “Angel Gabriel” fiz estudos minuciosos, mas já para o “Através do vidro” não fiz estudo nenhum, talvez por este ser composto de contos e não ser necessário um conhecimento mais aprofundado das personagens. Mas o mais engraçado é que com o “V.I.D.A” também não estive com estudos, mas talvez porque já tinha um conhecimento profundo das personagens e por isso me sentia à vontade para as escrever sem esse apoio complementar.

40) Sabes quais os conflitos, objectivos e motivações dos teus personagens, antes de começares a escrever, ou descobres apenas depois de começares? (Do you know your characters’ goals, motivations, and conflicts before you start writing or is that something else you discover only after you start writing?)
Isso eu sei antes de começar. Tenho de saber, pelo menos minimamente, embora com o desenrolar da estória as personagens me surpreendam, mas ao menos sei quem são, como tendem a agir e o que querem. Não conseguiria trabalhar de outra forma.

41) Livros sobre como escrever – Úteis ou uma perda de tempo? (Books on plotting – useful or harmful?)
Li dois: O “Escrever” do Stephen King e o “No plot, no Problem” do Chris Batty, que não é bem um livro sobre como escrever, mas antes de como sobreviver ao NaNoWriMo. A verdade é que achei ambas leituras interessantes, mas nenhuma me deu nada de marcante em troca. Talvez não tenha começado pelo sítio certo, ou talvez este tipo de leitura não me cative, mas também não me arrependo de os ler.

42) És um proscratinador nato ou estás sempre à espera do momento em que te podes sentar e escrever sem distracções? (Are you a procrastinator or does the itch to write keep at you until you sit down and work?)
Gostava de o negar, mas sou daquelas que, quando sabe que tem de escrever (ou pelo menos deve) vai para o computador e se perde a fazer tudo o que não interessa, quase como desculpa para não escrever, por mais vontade que tenha de o fazer. É estranho, mas verdade!
Por isso é que tenho o meu portátil, sem net, que ligo sempre que quero escrever e me mantém afastada da maioria das distracções. Mesmo assim, desculpas há muitas, depois o peso na consciencia é que doí que se farta, mas olhem … a culpa é só minha!

43)  Escreves em pequenos intervalos de criatividade, ou podes sentar-te e escrever horas a fio? (Do you write in short bursts of creative energy, or can you sit down and write for hours at a time?)
Consigo trabalhar das duas formas. Tudo depende dos dias e da minha vontade e disponibilidade, embora prefira sentar-me uma ou duas horas e escrever seguido, mas normalmente não tenho oportunidade para tal e acabo por escrever por tempos.

44) És um escritor(a) matinal ou escreves mais à tarde? (Are you a morning or afternoon writer?)
Eu sou dos madrugadores! E não quero com isto dizer que acordo cedo. Não! O que eu quero dizer é que à uma da manhã, estou eu a sentar-me ao computador para começar a escrever e quando dou por ela já são três ou quatro horas e eu ainda não fui dormir.  Pois é! Eu bem tento mudar este meu hábito, mas é mais forte que eu. Em toda a sinceridade, não sou dos que consegue acordar e começar logo a escrever. Eu bem queria …

45) Escreves acompanhado(a) de música, o barulho de crianças ou num café público, ou por outro lado precisas do total silêncio para te concentrares? (Do you write with music/the noise of children/in a cafe or other public setting, or do you need complete silence to concentrate?)
Barulho não! A não ser que esteja num daqueles dias em que nada me incomoda. Mas música sim. Aliás, acho que não consigo escrever nada de jeito sem a banda sonora apropriada.

46) Já sabes o fim antes de começares a escrever o primeiro capítulo? (Do you know the ending before you type Chapter One?)
Sempre! Eu tenho sempre de saber, pelo menos, o princípio e o fim, senão não consigo começar a escrever. E normalmente também sei todas as cenas fulcrais que vão acontecer no meio da narrativa, senão sinto-me à deriva.

47) És influenciado(a) pelo que está a vender no mercado literário? (Does what’s selling in the market influence how and what you write?)
Não! Definitivamente, não! Eu escrevo o que gosto, o que me vem à cabeça.
É pura coincidência que eu esteja a escrever uma estória de vampiros, e o mercado esteja numa onda de vampirismo como há muito não se via. E posso dizer isto de boca cheia porque tive a ideia para o “Angel Gabriel” em 2005, que é muito antes de tudo isto começar.

48) Revisões – Amas ou odeias? (Editing – love it or hate it?)
Não sei. Uns dias odeio, outros amo. Deve ser uma daquelas relações amor-ódio que ninguém compreende, nem mesmo eu.

As perguntas acima foram retiradas do blog Scandal & Hysteria

Estejam à vontade para usar estas perguntas também. Quero ver o que têm a dizer.

Autor: Ana C. Nunes

I love to write, read and draw. I write novels, draw characters and, sometimes, graphic novels or comics.

2 thoughts on “Meme de Escrita (Writing Meme) 2

  1. Adorei este meme🙂 – Foi mesmo interessante ver as respostas como um aprofundamento das histórias de que já ouvimos falar😀 se não te importas,fiz o mesmo para o meu blog🙂 Beijinhos*

  2. Claro que não me importo, aliás, até apoio.
    Vou ler as tuas respostas.

Comente / Comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s