Caneta, Papel e Lápis

Um blog sobre escrita criativa, de Ana C. Nunes (A blog about writing fiction, by Ana C. Nunes)

Momentos 06

1 Comentário

momentos_01Hey! Este post não é sobre a escrita.
É mais sobre a literatura.
Batoteira!
De vez em quando também é bom mudar um pouco.
Não gosto é do nome …. sem tacto.
Realmente. Quem foi que teve a brilhante ideia?
Eu não fui.
Muito menos eu.
Mas as musas são sempre as culpadas.
Essa é uma lógica muito duvidosa.
Se pensasses o contrário é que eu estranhava.
Bem, podemos prosseguir.
Podemos prosseguir? Bah! És tão snob.
Desculpa?
Meninas, comportem-se.

No outro dia estava a vasculhar este artigo e o/a blog da Meg Cabot (Diário da Princessa, Mediadora) e num qualquer post ela mencionava o fenómeno da “trauma porn”.
E que raio é isto?
Pois “trauma porn” (não me perguntem porque é que tem o “porn” no meio) é o nome dado a livros para jovens e adolescentes, cujos temas são tudo menos alegres. Estamos a falar de suicídio, drogas, acidentes com resultados fatais e/ou permanentes, violência doméstica. e demais traumas. Ou seja, livros em que a personagem principal tem uma vida já de si horrível, ou que passa a ser horrível devido a algum acontecimento marcante.
Esse artigo fez-me logo lembrar do “Pérola nas Brumas”. O livro da V.C. Andrews que eu ando a ler já há mais de cinco meses e para no qual estou a fazer um esforço descomunal para tentar chegar ao fim.
Aparentemente o “trauma porn” não é um fenómeno recente (basta ver que a V.C. Andrews já morreu há uns bons anos) e sempre houve este tipo de literatura para quem dela gostasse. Só que parece que recentemente a procura por estes títulos aumentou.
Uns acham o fenómeno preocupante, enquanto outros acham normal.
Eu sou parte do segundo grupo. Senão vejamos:
– Todas as pessoas têm gostos diferente de leitura.
– Em certas alturas da vida eu gosto de ler coisas mais alegres, mas leves. Noutras coisas com mais acção. E noutras ainda gosto de coisas com mais drama, que me façam chorar.
Num mundo que parece tudo menos sorridente e em que a cada dia que passa surge uma nova ameaça, é normal que os jovens (e não só) sintam mais interesse nestas temáticas.

Eu confesso que nesta fase da minha vida não estou com pachorra para as tragédias da “Ruby” (V.C. Andrews), mas também sei que o primeiro livro da saga foi um dos meus predilectos, quando eu tinha para aí uns 14 anos. Ou seja, é de fases.
Será que nos devemos preocupar por os jovens (eu ainda sou jovem) lerem cada vez mais este tipo de literatura?
Eu acho que não.
De uma certa forma é bom que eles saibam. Afinal, normalmente estes livros tem uma certa lógica de eventos. Por exemplo: Um jovem conduz bêbedo, envolve-se num acidente e fica paraplégico para o resto da vida. Uma jovem que é vitima de bullying corta os pulsos por causa da pressão. Uma jovem inicia uma viagem pela anorexia depois de fazer uma aposta com uma amiga para ver quem conseguia ser mais magra.
Isto são tudo realidades e por isso acho até bom que os jovens leiam este tipos de coisas. Pode ser que tomem consciência.
Acho que desde que o propósito do livro seja mostrar que a vida segue sempre o seu caminho e que depois da tempestade vem a bonança (e não só que as tragédias acontecem umas atrás das outras sem cessar), então este parece-me um género com promessa.

Aqui fica uma lista de alguns dos best-sellers mais recentes do género:
– “Wintergirls” de Laurie Halse Anderson
– “Veronika decide morrer” de Paulo Coelho
– “Before I die” de Jenny Downham
– “If I stay” by Gayle Forman

Autor: Ana C. Nunes

I love to write, read and draw. I write novels, draw characters and, sometimes, graphic novels or comics.

One thought on “Momentos 06

  1. Oh, eu gosto de trauma porn!
    E até a escrevo, de vez em quando.

    Suponho que seja parte de um plano maquiavélico para convencer os adolescentes que o mundo é um buraco negro assustador de onde nunca vão escapar.

    Mas depois, MWAHAHAHAHA, fecham o livro e vêem que nem é tudo assim tão mau. Portanto, correcção, é claramente um plano maquiavélico para fazer o mundo parecer muito melhor do que realmente é, relativamente falando.

Comente / Comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s