Caneta, Papel e Lápis

Um blog sobre escrita criativa, de Ana C. Nunes (A blog about writing fiction, by Ana C. Nunes)

Efémera

Deixe um comentário

12_efemeraBem dizem que um azar nunca vem só!
Se me contassem que o mundo desabaria aos meus pés num só dia, eu não acreditaria, mas aqui estou, desfazendo-me no meu próprio arrependimento, assoberbado pela minha estupidez e a colher os frutos podres que advieram das minhas plantações.
Costumam dizer a cada qual o que merece, mas eu acho que não fiz nada para merecer isto. Ou será que fiz sem me dar conta disso? Por vezes as nossas acções tem consequências mais profundas do que aquelas que prevemos.
Maldita hora em que decidi enfiar-me de cabeça nesta merda! O que é que vou fazer agora?

Esta gente toda a passear no parque, como se a vida não pudesse ser melhor.

Não sejas egocêntrico! Toda a gente tem problemas, mas também tem direito a dar um passeio sem se preocuparem com as coisas mais insossas da vida.
Claro que sim! Eu é que estou para aqui com pena de mim próprio, sem saber que passo dar a seguir ou se haverá um a seguir.
Que vergonha! Compõe-te! Afinal és um homem ou um rato?

Rato

Acho que vou deixar-me ser um por mais uns momentos. Afinal não estou a incomodar ninguém, pois não?

Aquele cão não está a pensar fazer o que eu …
AH! Raios! Baba de cão! EW! Tudo o que eu precisava neste momento …
“Magui, pára!”
Não acha que já vem tarde minha senhora? Deixa a cadela solta e depois ela põe-se a lamber estranhos. Yark!
“Você está bem? Esta cadela tem a mania de saltar para cima de toda a gente.”
Se quer pedir desculpas diga-o! Não olhe para mim com esse sorriso genuíno que eu assim nem consigo ficar verdadeiramente zangado.
“Não se preocupe. É bom saber que pelo menos os animais de quatro patas ainda gostam de mim.” – Não era nada disto que eu queria dizer!
Que gargalhada tão contagiante! Raios! Porque é que me estou a rir com ela? É suposto estares furioso com o mundo.
“Tens muito sorte Magui, por este senhor ser tão simpático, senão corrias o risco de ficar de castigo, menina mal comportada.”
Nunca pensei que uma voz pudesse soar tão doce. Que estranho …
Hey! Não precisa ir-se já embora. Eu estou a gostar da sua vossa companhia.
“Espero que agora já esteja mais animado.”
“Que quer dizer?”
“Bem … esta cadela parece sentir-se atraída pela tristeza das pessoas. E ela parece ter o dom de alegrar essas pessoas. Eu sei que parece estranho, mas é a verdade!”
Mas não foi a cadela que me alegrou. Foi você! Com esse sorriso e essa voz que parece preocupar-se … você, com essa estranha magia que a rodeia, capaz de, em segundos, fazer-me esquecer porque estive horas sentado neste banco de jardim.
“Só quero dizer-lhe que o que quer que esteja a atormentá-lo há-de passar. Afinal, tudo na vida é passageiro!”
“Obrigado!”
“Não tem nada que me agradecer.”
Tenho sim! Mais do que julgaria possível.
Já se vai embora?
Será que voltarei a vê-la?
Se a deixar escapar agora será que a maldita escuridão não voltará para me consumir. Por uma merda sem significado nenhum?
Não vá!
Eu não quero que você seja mais uma das coisas efémeras da minha vida.

“Espere!”

Texto inspirado pelo desafio “Feiticeiras” da Fábrica de Histórias.

Autor: Ana C. Nunes

I love to write, read and draw. I write novels, draw characters and, sometimes, graphic novels or comics.

Comente / Comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s